O ala Tiago Brito considerou hoje que o “grande segredo” da seleção portuguesa de futsal passa pelo coletivo e sentido de família no grupo, que permitiu vencer a Sérvia (4-2) no jogo inaugural do Europeu2022.

“O ponto mais forte da nossa equipa é, sem dúvida nenhuma, o coletivo. É dessa forma que os jogos vão ser resolvidos, pois a grande força de Portugal é o coletivo e o facto de sermos uma família dentro de campo. Esse vai ser o grande segredo neste torneio”, expressou, em declarações ao sítio oficial da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

A equipa das ‘quinas’ foi surpreendida na etapa inicial da partida da primeira ronda do Grupo A, com dois golos da Sérvia, aos dois e sete minutos, mas operou a reviravolta com os tentos de Pauleta (11), Pany Varela (19), Afonso Jesus (26) e Tomás Paçó (27).

“Tivemos uma má entrada em jogo, talvez por ter sido o primeiro, com ansiedade e a querer deixar uma imagem positiva. Depois de estarmos a perder 2-0, a equipa soube reagir bem e mostrar a sua verdadeira identidade e o que é ser Portugal. Na segunda parte, fomos a imagem da nossa seleção, com uma excelente atitude, muita dinâmica e conseguimos chegar a um resultado justo”, analisou o jogador do Sporting de Braga.

Tiago Brito, de 30 anos e que soma 103 internacionalizações, abordou a influência que os atletas com menos jogos por Portugal tiveram no resultado de quarta-feira – Tomás Paçó (16 jogos), Pauleta (24) e Afonso Jesus (28) -, reforçando novamente o coletivo.

“A competência é que define quem está dentro de campo. Serem os mais novos a marcar golos ou os mais velhos a assistir, ou vice-versa, é a explicação perfeita da simbiose entre a experiência e a juventude. É o coletivo que faz com que esta equipa tenha êxitos. Eles estão muito bem integrados e num excelente caminho para dar, por muitos anos, alegrias a todos os portugueses”, realçou o ala, que assistiu Afonso Jesus.

Os comandados do selecionador Jorge Braz voltaram hoje a treinar, durante a manhã, na Ziggo Dome, em Amesterdão, tendo novo apronto agendado para sexta-feira, pelas 17:30 (16:30 em Lisboa), no pavilhão Waterwijk, na preparação para o duelo com os Países Baixos.

“Vai ser um jogo em que vamos ter imensas dificuldades, porque as duas equipas vão jogar pelo apuramento. Temos de estar na nossa máxima força e com concentração extrema para podermos conseguir o nosso objetivo. É um jogo que, em termos táticos, vai ser algo diferente daquele que fizemos diante da Sérvia, mas que exigirá o melhor de nós para conseguirmos conquistar os três pontos”, apontou Tiago Brito, em análise.

Os anfitriões venceram a Ucrânia (3-2), na primeira ronda do agrupamento e dividem a liderança com Portugal, com três pontos, enquanto Ucrânia e Sérvia estão em branco.

“Não são assim tão surpreendentes estes resultados, porque hoje em dia trabalha-se muito bem em quase todo o mundo. A evolução tem sido constante. É a nova geração do futsal que temos e é completamente normal isto acontecer. Temos de estar muito alertados, porque da mesma forma que nós vimos o jogo deles, eles também nos vão analisar e saberão dos nossos pontos fortes”, explicou o campeão europeu e mundial.

Tiago Brito sublinhou o que pretende para o seu terceiro Europeu: “Estou muito bem em termos mentais e físicos. Senti-me muito bem em campo e estou pronto para dar ainda mais o meu contributo à equipa, com golos, assistências e estar presente em campo. É o que ambiciono e é essa a minha meta pessoal para o torneio”.

Portugal e Países Baixos defrontam-se no domingo, a partir das 17:30 locais (16:30 em Lisboa), na Ziggo Dome, Amesterdão, na segunda ronda do Grupo A do Europeu2022.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.