O Sporting venceu hoje o Benfica por 5-3, após prolongamento, e empatou a final do 'play-off' do título do campeonato nacional de futsal a 2-2, obrigando ao quinto e decisivo jogo.

O Benfica esteve a cerca de um minuto de festejar o título nacional, quando vencia por 3-2, mas um golo de Rocha, no último minuto, empatou a partida e obrigou ao prolongamento, durante o qual os 'leões' marcaram dois golos, por Rocha e Pany Varela, no mesmo minuto 42.

Léo, aos seis minutos, e Merlim, aos 14, deram por duas vezes vantagem ao Sporting, respondendo o Benfica por André Coelho (10), de penálti, e por Chaguinha (24), com Fábio Cecílio, a um minuto e meio do fim do jogo, a dar a única vantagem às 'águias' no encontro e a possibilidade de os 'encarnados' reconquistarem um título que lhes foge desde 2014/15.

O quinto e decisivo jogo disputa-se no próximo domingo, às 14:20, no pavilhão da Luz.

No final do jogo, o treinador de futsal do Benfica, Joel Rocha, não escondeu a sua insatisfação com a equipa de arbitragem do quatro jogo da final de futsal.

"Para o futsal em Portugal é muito bom haver quinto jogo, mas para o futsal ainda é muito melhor que quem toma decisões não se deixe condicionar pelo que é dito a quente depois dos jogos. Porque, como é hábito recorrente, aconteceu e, mais uma vez, consegue-se tirar dividendos", começou por dizer Joel Rocha.

"Hoje fomos muito limitados na organização defensiva, estivemos mais tempo a defender do que com bola. Além das dificuldades que o Sporting foi criando, fomos sendo empurrados para perto da nossa baliza. Isso foi-nos dificultando, mas nunca nos venceu. Tenham coragem de escrever aquilo que viram. O futsal português merece mais e melhor. Que nada nem ninguém se deixe condicionar pelo que quer que seja", acrescentou o técnico do Benfica.

"Em relação ao jogo, começámos a perder, começámos a ser empurrados para trás. No intervalo, estávamos com o equilíbrio emocional no ponto certo para ir à procura do resultado e vencer. Na segunda parte, fizemos um bom jogo do ponto de vista da organização e da objetividade. Empatámos, fazemos o 3-2 a minuto e meio do fim. Depois, no '5 para 4', numa ação em que o Rocha é muito forte, o Sporting faz o empate", considerou Joel Rocha.

"Não falta nada, o Benfica está a competir perante um grande adversário, muito bem trabalhado. Nós respeitamos imenso o adversário, não sei se é assim. Nem Benfica, nem Sporting vão conseguir estar por cima os 40 minutos, é a realidade. São duas grandes equipas que têm os seus momentos", disse Joel Rocha sobre a qualidade do adversário do Benfica.

"Começamos o prolongamento com cinco faltas e isso condiciona o nosso jogo, porque os nossos jogadores sentem que a qualquer toque... Uma coisa é defendermos com cinco faltas, outra coisa é defender com quatro. E como surge o 4-3? Num livre direto. Não estamos satisfeitos com o resultado. Mas nada nem ninguém nos vai retirar a ambição. Temos memória, o Benfica vai lutar por esta reconquista ao último segundo, fiel à sua identidade. Vai acabar como nós queremos, a vencer. Tenho essa convicção, não tenho essa certeza, mas tenho essa fé", sentenciou o treinador do Benfica.

O quinto e decisivo jogo disputa-se no próximo domingo, às 14:20, no pavilhão da Luz.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.