O selecionador Jorge Braz valorizou, esta terça-feira, passagem de Portugal neste play-off de acesso ao Mundial 2016 por ter sido perante um adversário como a Sérvia.

“É complicado jogar com a Sérvia pela maturidade competitiva que eles têm. Sabem potenciar as suas armas e têm jogadores de top. Sabíamos que tinhamos de ser pacientes e que precisávamos de gerir os momentos de jogo. Estou extremamente feliz porque carimbámos o passaporte”, destacou, em conferência de imprensa.

Jorge Braz falou ainda das emoções que sentiu ao longo da partida: "Andei sempre a falar da razão e da organização e isso temos, trabalhamos com qualidade. Temos de ter ambição e muitas vezes coração, e o primeiro coração a saltar hoje foi o meu".

O técnico deixou ainda uma mensagem aos críticos: “Acusem-me sempre de ser demasiado ambicioso no discurso, mas como coitadinho a seleção nunca irá para lado nenhum comigo", atirou.

O Mundial de futsal da Colômbia decorre em setembro deste ano.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.