A equipa das quinas tinha batido na meia-final a Espanha, por 4-3, mas foi cilindrada na final pelo Brasil, que levou o ceptro, ao vencer por 5-1. No entanto, foi uma boa prestação da selecção feminina, que tinha estado afastada da competição seis anos.

Jorge Braz lamentou “os erros simples” cometidos, mas não se arrepende de “ter corrido todos os riscos”.

"Tivemos uma série de oportunidades, principalmente na segunda parte, que poderiam ter dado um rumo diferente à partida. Perante esta prestação, o futuro desta Selecção e do Futsal Feminino Português só pode ser risonho. Atingimos todos os objectivos formativos e atingimos uma qualidade apreciável", disse o seleccionador no final do encontro.

O único golo português foi apontado por Catarina Silva, aos 34 minutos, colocando o marcador em 3-1. Mas no final do encontro, as “canarinhas” foram mais fortes e fecharam o resultado em 5-1.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.