Num pavilhão com pouco público onde por vezes faltou entusiasmo em Oliveira de Azeméis, Portugal e Rússia apresentaram um futsal tático onde transpareceu o respeito mútuo que existe.

Portugal apresentou durante longos minutos dificuldades em penetrar na área contrária e por isso recorria aos remates dos 10 metros com frequência para tentar bater Gustavo.

Na seleção russa, Pula era a unidade mais rematadora e aquela que causou mais calafrios a João Benedito na primeira parte e a André Sousa na segunda metade do encontro.

Tendo em conta a vertente tática do jogo, as oportunidades de golo não foram muitas de parte a parte, assim como os golos. Só na parte final do encontro as redes das duas balizas balançaram e após o tento inicial, o jogo se tornou mais aberto.

Aos 37 minutos de jogo, Maevskiy abriu o ativo. Na cobrança de um canto, o capitão pegou na bola sem a deixar cair à entrada da área e bateu inapelavelmente o guarda-redes André Sousa.

Portugal respondeu no minuto seguinte e após o desconto de tempo pedido por Jorge Braz. Ricardinho cobrou um canto e Pedro Cary apareceu no coração da área para fazer o golo do empate.

Ao cair do pano, a seleção havia de voltar a marcar, desta feita por Ricardinho.

Faltavam poucos segundos para o final do encontro, quando Leitão recebeu a bola de costas para a baliza, esperou a entrada do companheiro e fez, no momento certo, o passe para Ricardinho que vindo de trás rematou e colocou Portugal em vantagem no jogo.

Amanhã as duas formações têm novo teste no pavilhão Dr. Salvador Machado, em Oliveira de Azeméis, a partir das 20h30, já com transmissão na RTP2.

Cinco inicial: João Benedito, Leitão, Arnaldo, Gonçalo e Ricardinho.

Entraram ainda: Pedro Cary, Marinho, João Matos, Bruno Coelho, Djô e Ricardo Fernandes.

Não jogaram: Paulo Rocha.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.