Na perseguição ao “quarteto” da frente estão os ingleses James Morrison e Oliver Fisher, o escocês Andrew McArthur e o francês Julien Quesne, todos com mais um “shot”.

Lima (224.º do “ranking” mundial), que no ano passado registou o melhor resultado de sempre de um português na prova, com um 12.º posto, marcou no cartão um "eagle" (buraco 8, PAR 5), no seu 17.º buraco do dia, e quatro "birdies".

"Foi ótimo. De princípio a final estive muito seguro no meu jogo. Falhei alguns 'shots' no princípio, mas fiquei contente com o 'eagle' no oito. Salvou um bocadinho o dia", comentou Lima, que tem como melhor resultado esta época o 29.º lugar no Open da Andaluzia, há 15 dias.

O dia foi marcado por muito sol e algum vento, com os resultados a piorarem da manhã para a tarde. Até as 13:00 foram marcados 13 “eagles” - entre os quais o do português - e, até ao final da jornada, registaram-se apenas mais sete.

O “cut” provisório está no PAR do campo (72), pelo que apenas Filipe Lima termina o primeiro dia dentro da “zona de qualificação” para as últimas duas voltas, que conta neste momento com 73 jogadores.

A segunda volta, na sexta-feira, será decisiva para se ficar a saber quantos dos 14 portugueses passam o “cut” e jogarão este fim-de-semana no Porto Santo. O melhor dos três madeirenses é João Pedro Sousa, com 78 pancadas (+6 PAR).

O 18.º Madeira Island Open BPI Portugal, prova do Circuito Europeu de golfe, distribui 700 000 euros em prémios monetários.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.