Os golfistas Ricardo Melo Gouveia e Ricardo Santos vão liderar a comitiva nacional, composta por oito jogadores, na 16.ª edição do Portugal Masters, que decorre, entre quinta e domingo, no Dom Pedro Victoria Golf Course, em Vilamoura.

Os dois profissionais portugueses, membros efetivos do DP World Tour, vão jogar no traçado algarvio de 18 buracos (Par 71) pela manutenção no principal circuito europeu, uma vez que o Portugal Masters, dotado de dois milhões de euros em prémios, é o último evento da temporada a pontuar para o ‘ranking’.

Melo Gouveia, de 31 anos, ocupa o 120.º lugar na hierarquia e, após dois ‘top 20’ nas últimas duas semanas, precisa de mais um bom resultado em território nacional para ascender aos 117 primeiros do DP World Tour, garantindo assim automaticamente o cartão para a próxima temporada.

“Em termos psicológicos, estou bem. O meu jogo está a melhorar, joguei bem as duas últimas semanas, estou a sentir-me mais confiante e com muita vontade de jogar mais um Portugal Masters, com a pressão adicional de manter o cartão”, afirmou o melhor português no ‘ranking’ mundial, ao figurar na 271.ª posição.

Depois de ter jogado nas mesmas circunstâncias em 2017, 2018 e 2019 e ter alcançado, respetivamente, o quinto, sétimo e 27.º lugar, Melo Gouveia mostra-se entusiasmado com o desafio acrescido de jogar novamente pela manutenção.

“É o torneio certo para mim, porque já o joguei várias vezes com muito boas exibições e já estive algumas vezes nesta situação no Portugal Masters. Não é algo que me assuste muito, se bem que não seja o ideal, jogar com essa pressão adicional”, confessou o profissional, que há um ano falhou a única prova portuguesa do DP World Tour para jogar a grande final do Challenge Tour.

Já Ricardo Santos, de 40 anos, tem uma tarefa mais complicada pela frente, uma vez que é 160.º classificado no ‘ranking’ e precisa de subir 43 degraus até ao ‘cut’ de acesso ao calendário integral do DP World Tour em 2023.

“O meu estado de espírito está ótimo. Sinto-me bem e tenho jogado bom golfe nos últimos meses. Sei que os resultados não têm refletido isso, mas também sei que a qualquer momento as coisas podem acontecer. Agora, se irá ser no Portugal Masters ou não, isso já não sei. É algo que nós não conseguimos controlar. Mas será mais uma oportunidade para alcançar o meu objetivo principal”, avançou o algarvio, que passou 14 ‘cuts’ em 24 torneios jogados esta época.

No percurso desenhado por Arnold Palmer, Ricardo Santos garantiu a qualificação para as últimas duas voltas do Portugal Masters em três dos últimos quatro anos, tendo alcançado o seu melhor resultado de sempre, o 16.º lugar, em 2012, ano em que venceu o seu único título no circuito europeu, o Madeira Islands Open.

Além de Santos e Melo Gouveia, as cores nacionais serão ainda representadas pelos profissionais Tomás Melo Gouveia, Tomás Bessa, Vítor Lopes, Pedro Figueiredo, Pedro Lencart e o amador Hugo Camelo Ferreira.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.