O secretário de Estado do Desporto e Juventude, Alexandre Mestre, recebeu esta tarde de terça-feira a seleção nacional de Hóquei Patins e além de dar os parabéns a jogadores e equipa técnica pelo terceiro lugar alcançado na Argentina, juntou também a sua voz à indignação manifestada pelos dirigentes federativos pela arbitragem da meia-final em que Portugal acabou por ser afastado pela seleção anfitriã.

«Associo-me a vós pela verdade desportiva não ter sido assegurada na sua plenitude, mas o vosso valor e o vosso brio foram inequívocos. Foram muitos os portugueses que se mantiveram acordados para assistir à vossa participação muito condigna e também eu fiquei indignado pelo que se passou.»

Também presente nesta cerimónia que decorreu na Secretaria de Estado do Desporto e da Juventude, Paulo Rodrigues, vice-presidente da federação, explicou porque Portugal não compareceu na cerimónia de entrega das medalhas, ressalvando que tudo não passou de uma clamorosa falha na organização, pois a seleção aguardou no balneário a chamada para receber as medalhas relativas ao terceiro lugar.

«Embora pudesse haver vontade de uma revolta, não se tratou de um ato que pudesse colocar em causa a imagem e a bandeira de Portugal. Nunca mancharíamos o nome de Portugal», frisou o dirigente.

Também Reinaldo Ventura, capitão da equipa, frisou uma vez mais a revolta sentida na hora do afastamento frente à Argentina e mostrou-se satisfeito pelo apoio agora dado pelo governo português.

«O sentimento de indignação vai-se manter e o apoio do governo é positivo. A nossa voz não chega tão longe quanto a voz do governo», disse o jogador do FC Porto.

Portugal conquistou, nesta prova, a medalha de bronze depois de golear Moçambique por 9-2.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.