O 49.º Europeu, que se realiza de domingo a 11 de Setembro, em Wuppertal, na Alemanha, não vai fugir à regra e terá os favoritos do costume.

A selecção espanhola, campeã nos últimos três Mundiais, soma igualmente cinco títulos consecutivos na Europa e já desde 1998, na altura em Paços de Ferreira, que Portugal não é elevado a maior potência do “Velho Continente”.

Nos últimos anos, contudo, a selecção agora orientada por Rui Neto tem conseguido ganhar espaço e conseguiu, em 2008, chegar à final e ombrear com os espanhóis.

Aliás, nesse Europeu, e com 0-0 na final, Portugal foi prejudicado pela arbitragem, já que um golo claro foi invalidado pela dupla de juízes.

Também em 2000 e 2002, em Wimmis, na Suíça, e em Florença, Itália, Portugal chegou à final.

Agora, com Rui Neto no leme e com uma equipa mais experiente e aparentemente mais eficaz, Portugal pode quebrar a recente hegemonia espanhola e regressar aos triunfos que marcaram, sobretudo, a década de 70 e de 90.

Portugal soma 20 títulos, que começaram a ser conquistado em 1947, numa época em que os europeus se confundiam com os mundiais.

Depois de fazer aí quatro campeonatos consecutivos, Portugal regressou aos triunfos em 1952 e em 56, em duas edições realizadas no Porto.

De 1959 a 67, a selecção lusa voltou a somar mais quatro campeonatos consecutivos, repetindo o feito de 71 a 77.

Em Oviedo87, novo triunfo luso e, em Wuppertal92, começou nova caminhada rumo a outro “tetra”, que apenas terminou em Wimmis, na Suíça, quando os espanhóis regressaram aos triunfos.

A selecção portuguesa está incluída no Grupo B, juntamente com Itália, Inglaterra e Alemanha e abre a participação no 49.º Europeu na segunda-feira, com um confronto com a formação transalpina.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.