A seleção angolana sénior masculina de hóquei em patins teve de se empenhar para vencer o 1º de Agosto por 5-1, na primeira partida amigável, tendo em vista o duplo compromisso que irá disputar, nomeadamente o Torneio Internacional José Eduardo dos Santos e o 41º Campeonato Mundo.

A vitória dos comandados de Orlando Graça foi encontrada apenas na segunda parte, onde marcou quatro golos e sofreu um, depois de no primeiro turno ter sido amplamente pressionada pelos “militares” que mostraram estar a altura em todos os níveis.

Nos cinco minutos de jogo, as duas equipas mantiveram na quadra os mesmos jogadores que iniciaram o desafio, o que mostrava que os dois técnicos estavam satisfeitos com o desempenho dos seus pupilos.

Proveniente de um defeso de mais de um mês, a seleção mostrava estar presa ainda em alguns movimentos na execução do passe.

O primeiro sinal de golo eminente foi protagonizado por Walter que obrigou o guarda-redes Tiago Sousa da seleção angolana espalmar a bola.

Os "militares", bem a atacar e a defender, não permitiam que o cinco angolano chegasse à zona de finalização, o que deu a entender que o 1º de Agosto era um adversário a altura.

Aos nove minutos, mais um perigo a favor dos rubros negros, desta feita pelo seu capitão de equipa, Zé das Botas, que rematou forte para mais uma defesa de Tiago, que mostrava alguma preocupação dada a facilidade com que o adversário chegava à zona de perigo.

Apenas aos dezassete minutos Orlando Graça fez a primeira alteração ao colocar em campo Márcio para ocupar a vaga do capitão João Vieira (Johe), com pouco protagonismo enquanto esteve na quadra.

Ainda antes do intervalo saiu Kirro e para o seu lugar entrou Rui André, substituições que trouxeram alguma certeza na finalização e também na qualidade dos passes.

A vinte e oito segundos do intervalo, Angola chegou ao golo na sequência de uma jogada de Márcio João Pinto, que, com frieza, marcou um golo bastante festejado pelos adeptos presentes no recinto.

Na segunda parte, mais uma alteração, entrou o defesa Mamikua, para o lugar do avançado João Pinto, o que não mostrava a ideia de defender o resultado por parte da equipa técnica nacional.

Angola mais solta e eficaz, apareceu a rematar e passou a ter melhor perfeição em relação à etapa inicial, onde o destaque recaiu para Márcio Fernandes que aos poucos vai conquistando o seu espaço como exímio rematador.

O guarda-redes Estevão Dala, da equipa do Rio Seco, apesar de ser muito jovem, mostrou estar a altura de jogar na equipa principal e durante largos minutos garantiu a inviolabilidade do seu espaço.

Contra todas as expectativas, Walter com um forte remate igualou a partida (1-1), quando estavam decorridos trinta minutos de jogo. Oito minutos mais tarde, o capitão de Angola, Johe, voltou a colocar a equipa em vantagem fazendo o 2-1.

Foi só marcar o segundo que vieram logo a seguir os outros por Kirro, André Centeno e novamente Johe, este último na marcação de um livre direto.

Já a terminar, Filipe Bernardino entrou e não conseguiu marcar o sexto golo, na cobrança de um livre direto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.