O selecionador chileno de hóquei em patins, Rodrigo Quintanilla, mostrou-se nesta quinta-feira, encantando com a cerimónia do sorteio do Mundial da modalidade a ser disputado em Angola, de 20 a 28 de Setembro nas províncias de Luanda e Namibe.

Falando à Angop, no final do ato realizado no Centro de Conferências de Talatona, disse nunca ter visto uma festa do género e espera que a mesma se reflita no nível competitivo.

«Vou visitar nas próximas horas os pavilhões e os hotéis, mas pelo que vi até ao momento e forma como o sorteio foi organizado teremos um grande mundial», frisou.

Quanto as probabilidades da seleção nacional se qualificar para segunda fase, Rodrigo Quintanilla adiantou que Angola tem tudo a seu favor, mas vai ter que se empenhar.

«O clima e o público está a favor da equipa da casa e poderá ser fundamental», referiu.

Explicou que as seleções do grupo C, que considera da “morte”, estão quase equiparadas, realçando que Angola e Portugal estão ao mesmo nível.

Disse ainda que, quanto ao resultado do sorteio, estão preparados para defrontar qualquer adversário, uma vez que não tinham poder de escolha.

Acrescentou que gostaria de jogar no Namibe, uma vez que em 2012, no torneio Zé Du, jogaram na província do Huambo. «Gostaria de jogar mais uma vez fora da capital, no Huambo encontrei gente muito acolhedora, foi uma boa experiência e preferia conhecer outra cidade», justificou.

Angola e Chile, integrantes do grupo C, defrontam-se na segunda jornada do Mundial.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.