A Federação de Triatlo de Portugal (FTP) mostrou-se hoje solidária com o Governo na decisão do regresso à prática de desportos ao ar livre, no âmbito do plano de desconfinamento da pandemia de covid-19.

Vasco Rodrigues, presidente da FTP, revelou compreensão pela decisão, afirmando que "neste momento, a saúde e a segurança são o mais importante".

"Esta é uma situação única e, nestas alturas, não há decisões certas. Portanto, cabe-me estar solidário com a decisão do governo. Há coisas mais importantes e a saúde e a segurança estão em primeiro lugar", começou por referir o dirigente que atirou: "Ainda assim, isto é uma situação que transtorna a atividade das federações e afins".

Para Vasco Rodrigues, "é importante que toda esta situação se resolva" e admitiu que é preciso "agradecer” o facto de Portugal ter conseguido que o cenário da covid-19 "não se agravasse".

"Antes deste anúncio, a nossa expectativa era começar a ter provas em julho. E penso que isso não belisca em nada. Penso que o mês de maio vai ser experimental, as pessoas vão ter uma responsabilidade acrescida, terão de ter consciência para tomar as devidas ações. Se tudo correr bem no mês de junho, pode ser que em julho consigamos seguir o nosso pensamento", explicou ainda.

O Governo definiu hoje, no plano de desconfinamento da pandemia de covid-19, que a I Liga de futebol e a final da Taça de Portugal vão poder ser disputados, permitindo também desportos individuais ao ar livre.

Segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 227 mil mortos e infetou quase 3,2 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Cerca de 908 mil doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 989 pessoas das 25.045 confirmadas como infetadas, e há 1.519 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.