O campeonato do mundo de MotoGP, suspenso devido à pandemia de COVID-19, deverá arrancar em julho com dois grandes prémios consecutivos e sem público no circuito espanhol de Jerez de la Frontera.

A decisão foi tomada após uma reunião por videoconferência entre os representantes da Junta da Andaluzia (governo regional), de Jerez de la Frontera e a Dorna Sports, organizadora do campeonato, no qual participa o português Miguel Oliveira na categoria máxima (MotoGP), entidades que vão agora propor ao governo espanhol a sua autorização, bem como à Federação Internacional de Motociclismo (FIM).

Além destes dois grandes prémios, a serem disputados em 19 e 26 de julho nas três categorias (MotoGP, Moto2 e Moto3), o acordo anunciado pelo vice-presidente da Junta da Andaluzia, Juan Marin, prevê uma prova do mundial de Superbikes em 02 de agosto, igualmente no circuito de Jerez.

Apesar de o comunicado divulgado não explicar em que condições serão organizadas as corridas, o espanhol Carmelo Ezpeleta, responsável máximo da Dorna, precisou que as provas serão disputadas à porta fechada, sem público nem comunicação social, e com controlos sanitários regulares aos membros das equipas presentes.

De acordo com a página do MotoGP, a partir do momento em que seja dada 'luz verde' por parte das autoridades espanholas, seguirá uma proposta para a FIM para que esta inclua as provas nos respetivos calendários.

Entre vários cancelamentos e adiamentos devido ao novo coronavírus, a FIM deverá agora reorganizar os seus calendários, sendo que, além do Grande Prémio de Espanha, ainda estão por confirmar os grandes prémios de França, Itália e Catalunha (Espanha), tendo sido anulados os do Qatar, da Alemanha, dos Países Baixos e da Finlândia.

No último calendário atualizado da FIM figuravam 12 provas, com o Grande Prémio da República Checa a encabeçar a lista (09 de agosto).

Com a declaração de pandemia, em 11 de março, inicialmente alguns eventos desportivos foram disputados sem público, mas, depois, começaram a ser cancelados, adiados – nomeadamente os Jogos Olímpicos Tóquio2020, o Euro2020 e a Copa América – ou suspensos, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais de todas as modalidades.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de COVID-19 já provocou mais de 260 mil mortos e infetou cerca de 3,7 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um 1,1 milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.