Vinte e cinco mulheres denunciaram dirigentes dos Washington Football Team, equipa da NFL anteriormente conhecida como 'Redskins', de agressões verbais e assédio sexual.

De acordo com o jornal 'Washington Post', durante a gravação de um vídeo oficial do calendário das 'cheerleaders' em 2008 foi feito uma gravação à parte, com cenas de nudez, sem conhecimento das envolvidas. Esse vídeo de cariz sexual terá sido visto por alguns dirigentes da equipa, a pedido de Dan Snyder, proprietário do 'franchise' desde 1999 e que já veio negar o seu envolvimento no caso.

"Não tenho conhecimento dos vídeos que são mencionados. Não pedi que esses vídeos fossem feitos e nunca os vi", explicou Snyder em comunicado publicado pela TMZ Sports.

"Admito que tive muitas responsabilidades como proprietário e permiti que outros tivessem o controlo diário da franquia. No futuro, estarei mais envolvido e já fizemos mudanças importantes na estrutura", sustentou Snyder.

Segundo aquela publicação, a sessão contou com a presença de um vice-presidente, Larry Michael, que alegadamente solicitou as gravação das imagens e referiu que as mesmas teriam sido pedidas por Daniel Snyder.

Brad Baker, membro da equipa que trabalhava com Larry Michael, revelou o que o 'vice' transmitiu quando pediu as imagens: "Temos um projeto especial para o dono. Ele precisa que tenhamos as boas partes dos bastidores do vídeo das cheerleaders em DVD para ele".

Para além do testemunho de Baker, o Post escreve que um dos produtores afirmou que o vice-presidente Larry Michael ordenou a gravação do DVD para "uma reunião do executivo".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.