Os Europeus de judo, em Lisboa, vão decorrer de 16 a 18 de abril, e os Mundiais foram colocados de forma excecional em junho, sete semanas antes dos Jogos Olímpicos, segundo o calendário hoje publicado.

Com grandes adaptações devido à pandemia de covid-19, e o impacto que teve nas provas agendadas para 2020, o ano de 2021 terá, segundo a agenda hoje publicada, um ano particularmente cheio de eventos de monta.

O Masters do Qatar, de 11 a 13 de janeiro, em Doha, junta os melhores do mundo, entre eles sete portugueses, e abre o ano, lançando cinco ‘Grand Slams' entre fevereiro e maio: Telavive (18 a 20 de fevereiro), Tashkent (05 a 07 de março), Tbilissi (26 a 28 de março), Antália (01 a 03 de abril) e Paris (08 e 09 de maio), este último adiado da sua data habitual em três meses.

A capital portuguesa recebe, entretanto, os Europeus, de 16 a 18 de abril, com a corrida à qualificação para os Jogos aberta, via ‘ranking', até 28 de junho.

Em junho, Budapeste acolhe o campeonato do mundo, que costuma decorrer todos os anos, exceto em ano de Jogos, e na segunda metade do calendário, assim colocado a mês e meio de Tóquio2020, adiados para 2021, que vão decorrer de 23 de julho a 08 de agosto.

"Estes são os únicos torneios confirmados. Haverá tempo e espaço para outros se a situação pandémica permitir", nota a Federação Internacional de Judo em comunicado.

Nenhum torneio está marcado para depois dos Jogos, com o calendário ainda marcado pela paragem de cerca de oito meses em 2020, entre o início de março e o fim de outubro, com os Europeus de Praga e o ‘Grand Slam’ de Budapeste, em novembro, como únicos eventos realizados desde a retoma.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.