A etapa açoriana do Red Bull Cliff Diving 2019 teve de começar um dia antes do previsto, devido às condições meteorológicas previstas para sexta-feira. Desta forma, os primeiros saltos, desde a rocha no ilhéu de Vila Franca do Campo, foram já realizados esta quinta-feira, com os atletas a mostrar serviço logo pela manhã.

Jonathan Paredes foi o melhor entre os homens, ao registar 82.60 pontos, contra os 77 de Andy Jones e os 72.80 de Gary Hunt. O mexicano conseguiu três notas 10, cortesia do júri, para superar o recorde que havia fixado este ano na primeira etapa, em El Nido, Filipinas.

"Hoje foi perfeito. Estou sempre super assustado quando estou lá em cima, mas sempre tive bons resultados das rochas, por isso esse medo talvez seja o que me ajuda a fazer um bom salto", disse Jonathan Paredes ao site oficial da Red Bull.

Em femininos, Rhiannan Iffland, atual líder do campeonato, confirmou a sua boa forma, ao registar 71.50 pontos, à frente de Eleanor Townsend Smart (61.10) e Lysanne Richard (55.90). A australiana também conseguiu um 10 e igualou o seu próprio recorde de pontuação para um salto obrigatório feminino, 71.50 pontos, estabelecido no ano passado, precisamente nos Açores.

Começar a saltar um dia mais cedo não assustou Iffland. "Saí do avião quase à meia-noite de ontem e descobri que íamos competir hoje. Mas quando venho para competições estou preparada para saltar, seja no primeiro, no segundo ou no terceiro dia. Na minha cabeça estava a vir para aqui para fazer saltos de treino, por isso foi fácil preparar-me mentalmente para a competição", revelou.

Veja as melhores imagens do primeiro dia de competição nos Açores

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.