Maria Siderot foi esta sexta-feira a única judoca portuguesa a estar na fase de decisões no primeiro dia do Grand Slam de judo de Tashkent, competição em que foi relegada para a repescagem e terminou em sétimo lugar.

A judoca do Sporting venceu os dois primeiros combates na categoria de -48 kg, ambos já no prolongamento (ponto de ouro), com a turca Gulkader Senturk e a sul coreana Oh Yeonju, mas nos quartos de final perdeu com a espanhola Laura Martinez Abelenda.

Já na repescagem, Siderot, 30.ª do ‘ranking’ mundial, foi ‘forçada’ a novo prolongamento diante da italiana Francesca Giorda (38.ª), num combate em que foi notório o cansaço da judoca, que acabou derrotada por acumulação de castigos.

Dos seis judocas lusos em Tashkent, a competirem entre até este sábado, Joana Ramos (-52 kg), a única entre os convocados que está em zona de qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio, perdeu por ‘waza-ari’ frente à também experiente israelita Primo Gefen.

Joana Diogo (-52 kg) e Wilsa Gomes (-57 kg) também perderam nos combates de estreia, e Rodrigo Lopes (-60 kg), judoca que tenta reaproximar-se da zona de qualificação para os Jogos Olímpicos, perdeu ao segundo combate.

O judoca do Benfica começou por vencer o cazaque Damir Bolatbekov, mas perdeu no segundo combate, com o belga Jorre Verstraeten, medalha de bronze em novembro nos Europeus em Praga.

No sábado, Portugal fecha a participação em Tashkent com o judoca João Fernando (133.º do ‘ranking’ mundial) a competir em -73 kg, categoria em que defronta no combate de estreia o moldavo Petru Pelivan (65.º).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.