O canoísta júnior Joel Miranda atribuiu hoje a sua medalha de bronze nos mundiais de maratonas ao “muito esforço e dedicação” que tem dedicado à sua C1, num êxito consumado em Ponte de Lima.

“Esta medalha significa muito. Foi muito esforço e dedicação. Foi lutar até ao fim. Foi uma prova muito complicada e só tenho a agradecer aos meus colegas de equipa. Foi ir até ao fim sem desistir”, disse, em declarações à Lusa.

O atleta de Gemeses, Esposende, esteve no trio da frente até meio do percurso de 19 quilómetros no Rio Lima, atrasando-se posteriormente para concluir o seu desempenho em 1:40.38 horas. O espanhol Dario Sánchez venceu em 1:39.31, deixando o polaco Eryk Wilga a 12 segundos.

“Estava em terceiro lugar e só quis manter. Tinha receio que os de trás me passassem, pois queria manter a posição até ao fim. O bronze já significa muito para mim. Ir sozinho é complicado, pois não tenho troca de onda com nenhum adversário. Foi acreditar e ir até ao fim”, acrescentou.

Joel Miranda lembrou o quarto lugar nos Europeus da Hungria, “a milésimos de segundo” do bronze, pelo que este pódio mundial foi uma recompensa por essa frustração.

O estudante de 17 anos assumiu a “vantagem de conhecer o rio” e agradeceu o apoio dos portugueses.

Os Mundiais de maratonas juntam até domingo 890 canoístas, oriundos de 36 países.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.