Oito portugueses seguem dentro do ‘cut’ provisório da 58.ª edição do Open de Portugal em golfe, estando a liderança do torneio do European Tour entregue a Vítor Lopes, que se estreou com 65 pancadas no Royal Óbidos Golf Course.

Num dia em que as quatro estações se fizeram sentir no estratégico traçado desenhado pelo mítico Seve Ballesteros (Par 72), o jovem Vítor Lopes, de 24 anos, foi quem melhor lidou com as variações climatéricas, fechando a primeira ronda na liderança do ‘leaderboard’ com sete pancadas abaixo do Par, o seu melhor resultado de sempre numa prova do Circuito Europeu e do Challenge Tour.

O algarvio assinou seis ‘birdies’ (nos buracos 2, 4, 7, 9, 10 e 11) e um ‘eagle’ no buraco 5, numa volta só manchada pelo ‘bogey’ no ‘green’ do 6, para comandar a prova, dotada de 500 mil euros em prémios monetários, com dois ‘shots’ de vantagem sobre o espanhol Carlos Pigem e o francês Damien Perrier.

A três pancadas de Vítor Lopes ficou Ricardo Santos, que encerrou a ronda inaugural com 68 pancadas, quatro abaixo do Par, graças a uma exibição isenta de ‘bogeys’ e pautada por quatro ‘birdies’ (7, 9, 10 e 11).

Enquanto Santos, um dos dois portugueses com cartão do European Tour esta temporada, figura no quarto lugar, empatado com outros três golfistas, Ricardo Melo Gouveia alcançou uma vaga no top-10 do evento, que, à semelhança da semana passada, está a decorrer à porta fechada, devido à pandemia covid-19.

Apesar de um desempenho mais irregular, com dois ‘bogeys’ (1 e 9), um duplo-'bogey’ (11) e sete ‘birdies’, Melo Gouveia reagiu bem ao vento forte que se fez sentir, sobretudo a meio do dia, quando, às 14:30, atingiu uma média de 28,57km/hora, com rajadas de 40km/hora, e encerrou a sua participação com 69 ‘shots’, três abaixo do Par.

Tal como Vítor Lopes, Ricardo Santos e Ricardo Melo Gouveia, Stephen Ferreira e Pedro Figueiredo também jogaram abaixo do Par do campo, embora com uma exibição menos exuberante e um resultado mais discreto.

O jogador residente no Zimbabué, mas portador de nacionalidade portuguesa, registou três ‘birdies’ (1, 5 e 16) e dois ‘bogeys’ (8 e 12), ao passo que Figueiredo, membro do Circuito Europeu esta época, esteve menos assertivo nos ‘greens’ e assinalou quatro ‘birdies’ (3, 5, 7 e 9) e três ‘bogeys’ (4, 13 e 16), ocupando ambos a 36.ª posição da classificação.

Francisco Oliveira e Tomás Bessa, por sua vez, fizeram o Par do campo e o amador Pedro Lencart 73 pancadas, uma acima do Par, para integrarem o grupo de 75 jogadores que, ao final do primeiro dia, estão no limite do ‘cut’ provisório.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.