A um ano do início dos Jogos Paralímpicos Tóquio2020, Portugal tem já a garantia de estreia na paracanoagem e três vagas individuais asseguradas, num apuramento que decorrerá até 03 de agosto do próximo ano.

“Toda a preparação para os Jogos Tóquio2020 está a decorrer dentro das previsões, e muito recentemente conseguimos o apuramento inédito na modalidade de paracanoagem, que se estreou no programa paralímpico há quatro anos, no Rio de Janeiro”, disse à agência Lusa Leila Marques, chefe da missão paralímpica portuguesa.

Com 10 modalidades no programa de preparação paralímpico, entre as quais as estreantes badminton e paratriatlo, a estreia em novos desportos foi um dos objetivos estabelecidos pelo Comité Paralímpico de Portugal (CPP) para o ciclo Tóquio2020.

O programa dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, que decorrerão entre 25 de agosto e 06 de setembro do próximo ano, contempla 22 modalidades, entre as estreantes badminton e taekwondo.

Com três vagas asseguradas nas modalidades de atletismo, ciclismo e paracanoagem, Leila Marques, antiga atleta paralímpica, admite que a representação portuguesa no Japão possa ser inferior aos 37 atletas presentes no Rio de Janeiro em 2016, “devido a uma questão de redistribuição de vagas”.

Há quatro anos, Portugal foi um dos países beneficiado com o aumento de quotas de participação, motivado pela exclusão da Rússia, na sequência de um escândalo de doping organizado com apoio estatal.

Com o apuramento para a competição a fechar apenas em 03 de agosto, Leila Marques, que participou em quatro edições de Jogos Paralímpicos, antevê “muita agitação nos próximos meses, no que à obtenção de vagas diz respeito”.

“O próximo mês de setembro vai ser recheado de competições que permitem obtenção de vagas, e até maio, quando a Madeira receber os Europeus de natação do Comité Paralímpico Internacional (IPC), vamos ter um calendário de apuramento intenso”, afirmou Leila Marques, lembrando que as vagas asseguradas são sempre por país e nunca nominais.

Com “tudo a correr dentro do previsto” no plano desportivo, a chefe de missão garante que o mesmo sucede no plano organizacional, e prevê para setembro uma deslocação a Tóquio, para se inteirar de todos os pormenores.

O atual ciclo paralímpico deverá ficar marcado pela equiparação das bolsas de preparação paralímpicas às olímpicas, processo que, de acordo com as últimas decisões governamentais, deverá ser concluído durante o ano de 2020.

No encerramento dos Jogos Rio2016, os japoneses, que já em 1964 receberam uma competição para atletas com deficiência, prometeram uma competição disputada sob o lema “Mudança e Atitude”, empenhada em mostrar que a cada dia se abrem novas oportunidades às pessoas com deficiência.

Como sucede ininterruptamente desde 1988, em Seul, os Jogos Paralímpicos, a segunda maior competição multidesportiva do mundo, vão disputar-se nas mesmas instalações dos Jogos Olímpicos, que em Tóquio se disputarão entre 24 de julho e 09 de agosto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.