A Nike anunciou hoje o fim do projeto Oregon, que tinha como principal figura o treinador de atletismo Alberto Salazar, suspenso por quatro anos por “incitação ao doping”.

“Esta situação [a suspensão de Salazar] e outras alegações infundadas estão a perturbar muitos atletas e impedem a sua concentração nos treinos e nas competições. Por isso, tomei a decisão de acabar com o projeto”, afirmou Mark Parker, diretor executivo da Nike, numa mensagem divulgada aos colaboradores.

Nos últimos dias, várias vozes fizeram-se ouvir pedindo o fim do projeto, financiado pelo Nike e que tem permitido a obtenção de excelentes resultados no fundo e meio-fundo.

O diretor da Nike continua a apoiar Alberto Salazar, treinador do britânico Mo Farah até 2017, e, já depois dos Mundiais que decorreram em Doha, considerou que “uma suspensão de quatro anos para alguém que agiu de boa fé é uma má decisão”.

A USADA, que suspendeu Alberto Salazar por quatro anos, acusa o antigo maratonista de “organizar e instigar uma conduta de doping” e de ter traficado testosterona e injetado nos atletas o aminoácido L-carnitina acima das doses autorizadas.

Depois de conhecida a suspensão, a Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) retirou a acreditação de Alberto Salazar para os Mundiais de atletismo, que decorreram no Qatar, a pedido da federação norte-americana.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.