A direção do Autódromo de Termas de Rio Hondo prometeu hoje fazer tudo para realizar o Grande Prémio da Argentina de MotoGP, previsto para novembro, depois de um incêndio ter destruído 80% da parte edificada da estrutura.

“Trabalharemos desde já para fazer todo o possível para cumprir com os calendários que temos, inclusive a prova de MotoGP de novembro” afirma a direção, num comunicado divulgado pouco depois do incêndio.

A direção esclarece que o incêndio destruiu, entre outros espaços, o edifício das boxes, a zona da sala de imprensa, e salas VIP, e não atingiu o museu, a torre de controlo e a zona de oficinas.

Os responsáveis pela gestão do autódromo asseguram os danos devem ser cobertos pelo seguro, mas “reconhecem que será preciso tempo para reconstruir” tudo o que foi destruído pelo incêndio.

O circuito argentino integra desde 2014 o calendário do Mundial de MotoGP, tendo a prova de 2021, que estava prevista para 11 de abril, sido adiada para novembro devido ao aumento de casos provocados pela pandemia do novo coronavírus, o mesmo motivo que levou ao cancelamento da corrida em 2020.

O adiamento da prova argentina, juntamente com a dos Estados Unidos, em Austin, promoveu o no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão, de suplente a titular, acolhendo, em 18 de abril, a terceira prova do campeonato do mundo de motociclismo de velocidade, que conta com o português Miguel Oliveira (KTM).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.