O argentino Kevin Benavides (Honda) estreou-se hoje a vencer o rali Dakar de todo-o-terreno ao concluir a 43.ª edição da prova de motos na primeira posição, dando a vitória à equipa do português Ruben Faria pelo segundo ano consecutivo.

Hoje, Kevin Benavides foi segundo classificado nos 225 quilómetros cronometrados da 12.ª e última especial das motas, que terminou em Jeddah, ganha pelo companheiro de equipa e anterior vencedor, o norte-americano Ricky Brabec (Honda), que terminou a prova, disputada na Arábia Saudita, em segundo, dando a primeira dobradinha à Honda desde 1987.

Benavides cumpriu 32 anos no passado sábado, dia de descanso da prova, tendo o segundo lugar de 2018 como melhor resultado até aqui mas o segundo posto na especial de hoje, a 2.17 minutos de Brabec, foi suficiente para festejar a vitória.

O piloto argentino terminou a prova com 4.56 minutos de vantagem sobre o seu companheiro de equipa e 15.57 minutos sobre o britânico Sam Sunderland (KTM), que fechou os lugares do pódio.

O português Joaquim Rodrigues Jr. (Hero) foi o melhor português, terminando a corrida na 11.ª posição, apesar de uma penalização de 32 minutos, concluindo a 3:04.24 horas do vencedor.

O luso-germânico Sebastian Bühler (Hero) terminou na 14.ª posição, a 4:00:03 horas e o estreante Rui Gonçalves (Sherco), antigo vice-campeão mundial de motocrosse da classe MX2, foi o 19.º, a 6:32.21 horas do vencedor.

O rali Dakar de todo-o-terreno arrancou a 02 de janeiro, em Jeddah, na Arábia Saudita.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.