O piloto britânico Lewis Hamilton (Mercedes) revelou hoje não estar a planear fazer boicote ao Grande Prémio da Bélgica de Fórmula 1, na sequência dos protestos de alguns atletas nos Estados Unidos contra a discriminação racial.

Em causa está a morte de Jacob Blake, um cidadão afro-americano atingido com sete tiros nas costas pela polícia, no estado de Wisconsin, no domingo passado.

Atletas das ligas de basquetebol masculina (NBA) e feminina (WNBA), basebol e futebol boicotaram os jogos das suas equipas em protesto.

A tenista Naomi Osaka anunciou o abandono do torneio de Cincinnati (entretanto, reconsiderou e vai estar presente no encontro das meias-finais), numa atitude que mereceu o aplauso do próprio Lewis Hamilton, o único piloto negro da Fórmula 1, que se mostrou "muito orgulhoso" desse gesto, segundo uma mensagem publicada no Instagram.

Mas questionado sobre se estaria a considerar abandonar o GP da Bélgica de Fórmula 1 do próximo fim de semana, Hamilton revelou não ter intenção de o fazer.

"Muitas pessoas apoiam os atletas e estão a fazer pressão para que haja mudanças. Mas isso é na América e não sei se o facto de eu fazer qualquer coisa aqui tem algum efeito. Estamos na Bélgica, não nos EUA", disse o piloto britânico, seis vezes campeão mundial de Fórmula 1.

O piloto da Mercedes garantiu, ainda assim, que irá "falar com os responsáveis da Fórmula 1 para ver o que pode ser feito, para continuar a ajudar", frisou.

Hamilton considera que "todos devem estar alinhados, apoiar-se uns aos outros", mesmo sendo desportos diferentes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.