O grupo industrial britânico INEOS tornou-se acionista da escuderia Mercedes, em partes iguais com o grupo Daimler e o diretor executivo, o austríaco Toto Wolff, anunciou hoje a equipa campeã mundial de Fórmula 1.

“A participação da INEOS vai cifrar-se em um terço e somar-se ao papel de principal parceira da equipa. Paralelamente, a Daimler reduzirá a participação atual de 60% e Toto Wolff aumentará a sua, dos 30% atuais, para criar três parceiros igualitários”, informa a escuderia, em comunicado.

A Mercedes, que em 2020 se sagrou campeã mundial de F1 de construtores e pilotos, por intermédio do britânico Lewis Hamilton, terá de adaptar-se ao limite de despesas que vigorará em 2021, de perto de 120 milhões de euros anuais, menos de um terço do orçamento que dispõe atualmente.

A escuderia confirmou também a continuidade durante os próximos três anos de Toto Wolff na liderança, sob a qual a Mercedes conquistou os últimos sete títulos mundiais de construtores e pilotos, seis pela ‘mão’ Hamilton e um através do alemão Nico Rosberg, em 2016.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.