O português Miguel Oliveira (Honda) desvalorizou hoje a possibilidade de arrancar da primeira linha da grelha de partida para o Grande Prémio de motociclismo de Portugal, na categoria de Moto3, porque o início do circuito permite ganhar tempo.

«O objetivo primordial é podermos sair da primeira linha, mas se sairmos da segunda ou terceira também não há problema, porque sabemos que até à primeira curva há uma grande distância», afirmou o jovem piloto, que nos segundos treinos livres do dia registou o melhor tempo (1.48,497 minutos).

Em conferência de imprensa, depois da sessão de treino, Miguel Oliveira admitiu que pode conseguir «ganhar tanto no arranque, como na travagem».

«Sair na linha da frente ajuda, mas não é um fator que dá a vantagem enorme», resumiu.

Na parte da manhã, o português foi cronometrado com o segundo melhor tempo (1.56,514), depois de, na sessão inaugural de treinos, ter notado «condições bastante difíceis» devido à pista estar molhada.

Ao início da tarde, com a pista seca fez um treino normal «sempre com pneus ‘slick' (para pisos secos e que permitem maior superfície de contacto com a pista)» e na última volta registou um «grande ritmo».

Antes da qualificação de sábado, Miguel Oliveira anteviu trabalho dos técnicos em detalhes na sua Honda para conseguir ganhar «algumas décimas», enquanto ele vai perceber como a sua prestação pode correr melhor.

A qualificação para a prova de domingo está agendada para as 13h00 de sábado, depois de novo treino livre pelas 09h00.

O Grande Prémio de Portugal é a terceira prova do mundial de motociclismo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.