O português Miguel Oliveira (KTM), quinto no Grande Prémio da Catalunha, disse hoje que a sétima corrida do Mundial de Moto3 “foi muito combatida e difícil do princípio ao fim”.

“A minha estratégia era ir para a frente e tentar liderar. Na última volta não consegui apanhar bem o ‘cone de ar’ e com muitos pilotos em paralelo, estava numa posição menos privilegiada para travar para a primeira curva e a última volta também foi muito rápida; e não consegui ultrapassar mais do que um piloto”, comentou Miguel Oliveira, citado pela assessoria de imprensa.

Apesar de tudo, o português não deixou de ficar satisfeito por ter sido o melhor piloto da KTM.

“Acabar na quinta posição, sendo a única KTM a lutar na frente do grupo, é muito positivo para mim. Esta pista não é a melhor para a nossa moto”, justificou.

Após o quinto lugar na corrida catalã, sétima prova de época, ganha pelo britânico Danny Kent (Honda), Miguel Oliveira subiu ao terceiro lugar do Mundial de Moto3, agora com 77 pontos, contra 98 do italiano Enea Bastianini (Honda), segundo, e 149 do líder, o britânico Danny Kent (Honda).

Miguel Oliveira caiu nas duas primeiras corridas do Mundial (Qatar e Américas), mas pontuou nas restantes, sendo quarto na Argentina, segundo em Espanha e oitavo em França, antes de somar a primeira vitória na carreira, em Itália, no circuito de Mugello.

A oitava prova do Mundial está marcada para 27 de junho, no circuito de Assen, na Holanda.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.