O piloto português Miguel Oliveira (KTM) garantiu que não ficou com "consequências físicas" na queda sofrida hoje na sessão de qualificação para o Grande Prémio de França de MotoGP, na qual acabou na 10.ª posição.

O piloto de Almada caiu no primeiro setor do circuito de Le Mans, onde este domingo se disputa a quinta ronda do campeonato, numa altura em que tinha recomeçado a chover, a cerca de três minutos do final da sessão.

"Entrei no primeiro setor e estava a chover. Os comissários não mostraram a bandeira da chuva e acabei por cair. A queda foi rápida, mas sem consequências fisicamente", disse Miguel Oliveira, numa conferência de imprensa virtual após a sessão.

O piloto da KTM acredita que, sem essa queda, "poderia ter feito melhor" do que aquilo que fez, mas, ainda assim, assumiu-se "confiante e otimista" para a corrida de domingo.

"Tenho-me sentido confiante em todas as corridas. Às vezes, lutamos com a mota. Aqui tem havido altos e baixos, mas temos sido competitivos em todas as condições. Estou a perceber a mota e os pneus", frisou.

A imprevisibilidade das condições meteorológicas em Le Mans será a chave para a corrida de domingo.

"O tempo não conseguimos controlar. O que esperamos é que, sendo chuva ou piso seco, que seja estável. Iremos sempre reagir de acordo com o que iremos encontrando em pista. Os pneus fazem parte dessa reação", apontou.

Miguel Oliveira diz que "não houve tempo" para testar os pneus "com piso seco" pelo que será difícil chegar aos limites.

"Mas é igual para todos. Nós não estamos assim tão mal e podemos ambicionar um bocadinho melhor do que aquilo que fizemos na qualificação", garantiu.

No entanto, só nos momentos que antecederem a corrida é que irá escolher os pneus a usar.

"Vai ser difícil de prever. Se o piso estiver seco, esperamos que a escolha de pneus seja simples. Ainda não rodámos com outro composto a não ser os macios. Se chover, vai depender da quantidade de água na pista. Ou então de fazer uma corrida ‘flag to flag', com mudança de mota", concluiu.

Hoje, o português igualou a sua melhor qualificação do ano, conseguida no GP de Portugal, no Algarve, ao ser o 10.º mais rápido na sessão desta tarde.

O GP de França de MotoGP é a quinta ronda da temporada.

O italiano Francesco Bagnaia (Ducati) chega na liderança, com 66 pontos, enquanto o português é 17.º, com nove.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.