O presidente da Federação de Motociclismo de Portugal (FMP), Miguel Marinheiro, classificou este domingo como “uma notícia triste e trágica” a morte do ‘motard’ Paulo Gonçalves, no rali Dakar, que descreveu como “um apaixonado da vida e das motos”.

“É uma notícia triste e trágica”, referiu Miguel Marinheiro em declarações à agência Lusa, considerando que o piloto de Esposende, que morreu hoje na Arábia Saudita, “merece todos os elogios”.

Segundo Miguel Marinheiro, o ‘motard’ português, de 40 anos, “era um apaixonado da vida e das motas”, lembrando-o como “o piloto com mais títulos de campeão nacional”, mas acima de tudo como “um excelente homem”.

“Começou no motocrosse, passou pelo enduro e pelo todo-o-terreno, em todas as modalidades que praticou foi campeão” disse, acrescentando: “O Paulo era um piloto de excelência e respeitado por todos os adversários”.

Miguel Marinheiro referiu que o piloto era também um apaixonado pelo Dakar, onde teve “excelentes resultados” entre os quais um segundo lugar em 2015.

“Agora nos últimos anos a sua paixão era o Dakar, com excelentes resultados. Todos os anos, todos esperávamos uma vitória do Paulo que, infelizmente, já não vai acontecer. Fica-nos a saudade, mas a memória do excelente piloto que ele foi e dos resultados brilhantes que teve”, afirmou.

Paulo Gonçalves morreu este domingo na sequência de uma queda, durante a sétima etapa entre Riade e Wadi Ad-Dawasir, na Arábia Saudita.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.