O Rali de Portugal gerou um impacto direto de 138,3 milhões de euros (ME) na economia portuguesa em 2018, estima um estudo encomendado pelo Automóvel Club de Portugal (ACP), divulgado na quarta-feira.

De acordo com o Estudo do Impacto do Rali de Portugal na Economia e Turismo, metade do retorno verificou-se em despesa direta assegurada por adeptos e equipas na região onde decorreu a prova do ACP: 72,9 ME, mais 1,7 ME face a 2017, registando assim um novo recorde no impacto que o evento provoca anualmente no país.

O ACP estima que a relevância do Rali de Portugal para a economia desde 2007, ano em que a prova regressou ao campeonato do mundo, "registou 1.173 ME numa perspetiva agregada, contributo que nenhum outro evento desportivo ou turístico organizado anualmente em território nacional atinge", anunciou o clube, em comunicado.

Segundo o mesmo estudo, realizado pelo do Centro Internacional de Investigação em Território e Turismo da Universidade do Algarve, face ao volume e tipologia de gastos dos adeptos, "é possível estimar que residentes e turistas com despesas afetas ao Rali de Portugal 2018 proporcionaram ao Estado uma receita fiscal bruta superior a 20 milhões de euros (IVA e ISP), representando 28,7% de impostos face à despesa direta total".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.