O sérvio Novak Djokovic admitiu hoje que chega ao ATP Finals, em Londres, menos pressionado, por já ter garantido a liderança do ranking até final do ano, mas mantém a ambição de vencer pela sexta vez o torneio.

“Alivia a pressão saber que vou terminar 2020 como número um, mas isso não muda o desejo de ganhar o troféu. Quero ganhar, assim como todos os jogadores que vão disputar a prova”, afirmou Djokovic, em conferência de imprensa realizada na capital inglesa.

Em caso da sexta vitória, o tenista sérvio iguala o recordista Roger Federer, que não vai participar nesta edição por opção. Djokovic conquistou a prova em 2008, ainda na China, e em 2012, 2013, 2014 e 2015, já em Londres.

“Tenho tido sucesso aqui. Tenho jogado muito bem em Londres e espero voltar a vencer”, referiu o jogador de 33 anos, que também foi finalista vencido em 2016 e 2018.

Na fase de grupos, Djokovic vai defrontar o russo Daniil Medvedev, o alemão Alexander Zverev e o argentino Diego Schwartzman.

Em 2019, o torneio foi conquistado pelo grego Stefanos Tsitsipas, que está incluindo no outro grupo com o espanhol Rafael Nadal, o austríaco Dominic Thiem e o russo Andrey Rublev.

A 51.ª edição do ATP Finals vai decorrer de 15 a 22 de novembro, sem a presença de público, devido à pandemia da covid-19.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.