A tenista Maria João Maria Koehler, que hoje se tornou na terceira portuguesa da história a atingir segunda ronda do Estoril Open, mostrou-se feliz, mas recordou que «amanhã há mais».

«Estava bastante motivada, queria passar. Senti-me muito bem a jogar hoje, cumpri os meus objetivos, estou feliz com o jogo de hoje, mas amanhã há mais», disse a tricampeã nacional, que venceu a japonesa Ayumi Morita, 77.º do ranking, por 6-1 e 7-5.

Sucessora de Neuza Silva (2004) e Michelle Larcher de Brito (2010), as outras tenistas nacionais a estarem presentes na segunda fase do maior torneio português, Koehler confessou que o Estoril Open é «muito especial», porque fá-la sentir em casa.

«Fiquei surpresa com número de pessoas que estavam a apoiar-me. Senti o apoio de jogar em casa, dos meus treinadores, os meus pais também estavam algures. Amanhã [quarta feira] espero ter ainda mais público. Sei que é difícil, mas faço esse apelo aos portugueses», destacou.

Apurada para a segunda ronda à quarta tentativa no quadro principal, Koehler não está preocupada com a sua opositora, a primeira pré-designada, Roberta Vinci.

Pouco conhecedora do estilo da adversária – «Sinceramente não sigo muito o ténis feminino. Não sou muito de ver ténis na televisão. Sei que [Vinci] ganhou, mas não vi o jogo» -, a número 227 mundial vai encarar o confronto com a italiana de igual para igual.

«Vou encarar como se fosse uma jogadora do ‘qualifying’ ou tivesse o meu ranking. Estou motivada para jogar com uma jogadora desse nível e vamos lá ver como corre», acrescentou.

A ajudar a tricampeã nacional, cujo maior feito até à data foi o apuramento para a primeira ronda do Open da Austrália, onde perdeu com a belga Kim Clijsters, está o seu treinador Nuno Marques, que desvalorizou a vitória da sua pupila com um «amanhã ainda há mais, o torneio ainda não acabou».

«É sempre bom. Não há este apoio em todos os torneios. Obviamente que me ajudou, mas não é aí que há diferença», reconheceu, indicando que este ano irá contar com maior acompanhamento por parte do treinador.

Agora, a vencedora de dois títulos ITF (Cantanhede e Amarante, ambos em 2009) deverá espreitar os duelos lusos do dia.

«Acho que vão ser jogos bastante disputados. Estão todos num excelente momento de forma. Estou curiosa para ver o João [Sousa], porque nas últimas semanas tem jogado a um nível muito alto», afirmou, recusando dizer qual é o seu compatriota preferido.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.