O tenista escocês Andy Murray, número dois mundial, disse hoje ter sido vítima de perseguição por uma funcionária de hotel, que entrou no seu quarto enquanto dormia, seguindo-o pelo menos em dois torneios.

O bicampeão olímpico e tricampeão do 'Grand Slam' contou que acordou com a mulher sentada na sua cama, acariciando o seu braço.

“Entrou no meu quarto. Sentou-se ao meu lado. E começou a acariciar o meu braço, às 07:00, enquanto dormia”, revelou Murray em entrevista à International Premier Tennis League.

O número dois do ténis mundial disse que foi alvo de perseguição em hotéis em Roterdão e Barcelona, onde estava hospedado.

“Não sei se é coisa de fã, mas acho um pouco exagerado o que aconteceu”, rematou.

O escocês encontra-se em Pequim para disputar o Open da China, onde uma boa campanha pode encurtar a distância pontual para o sérvio Novak Djokovic, número um do mundo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.