O tenista japonês Kei Nishikori, finalista derrotado da edição de 2014 do Open dos Estados Unidos, vai falhar a edição deste ano do ‘Grand Slam’ norte-americano, apesar de já ter testado negativo à COVID-19, foi hoje anunciado.

Nishikori tinha tido dois testes positivos e agora teve um negativo, mas isso não o demove na decisão de não comparecer no segundo ‘Grand Slam’ da temporada, que começa para a semana.

Nas redes sociais, o tenista considera que está preparado para "devagar" regressar à prática, mas não preparado para um torneio com partidas à melhor de cinco ‘sets’.

"Depois de uma paragem longa, sinto que regressar à melhor de cinco [‘sets’] não é sensato antes de estar totalmente preparado para o fazer", referiu, acrescentando: "É uma desilusão porque gosto do US Open e tenho grandes recordações de lá, mas vou recomeçar na terra batida".

O Open dos Estados Unidos, no piso rápido de Flushing Meadows, termina em 13 de setembro, após o que o circuito dos grandes torneios passa para a terra batida, na Europa, já a apontar para Roland Garros, que se inicia em 27.

O tenista nipónico, de 30 anos, revelou no final da última semana que tinha testado positivo, mas que tinha "sintomas mínimos". Atual 31.º do 'ranking', Nishikori seria cabeça de série em Flushing Meadows.

Além da final perdida em 2014 para Marin Cilic, conta ainda com duas presenças em meias-finais, nos anos de 2016 e 2018.

Nishikori não joga qualquer encontro desde o US Open do ano passado devido a uma lesão grave no braço direito.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.