A estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, iluminou-se com luzes azuis e amarelas para assinalar 20 anos desde a vitória de Gustavo Kuerten no torneio de ténis de Roland Garros.

O ex-tenista brasileiro, que usava as cores azul e amarelo no equipamento, chegou ao torneio no 66.º posto do ‘ranking’ mundial, mas acabou por vencer o torneio a 08 de junho de 1997, numa final em que bateu o espanhol Sergi Bruguera, por 6-3, 6-4 e 6-2, numa caminhada surpreendente.

A homenagem, organizada pela Arquidiocese do Rio de Janeiro, em parceria com a Federação Francesa de Ténis, destacou na quinta-feira a conquista improvável de ‘Guga’, que manifestou “uma gratidão extraordinária” pela homenagem.

“O Cristo Redentor é o nosso principal símbolo de esperança, fé, superação e generosidade e esse título de 1997 foi construído através desses mesmos sentimentos que ‘contagiavam’ as pessoas, unindo um país inteiro numa crença jamais imaginável”, destacou o antigo tenista brasileiro.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.