Um primeiro caso de covid-19, que não é de um tenista, foi hoje identificado na bolha de Nova Iorque, onde em quatro dias começa o torneio de Cincinati, antes do US Open, revelou hoje a organização.

“Um indivíduo, que não é jogador, teve um teste positivo para a covid-19 no ambiente controlado” do Centro Nacional Billie Jean King, em Flushing Meadows, anunciou a federação norte-americana de ténis (USTA), especificando que a pessoa afetada “é assintomática”.

Este resultado positivo é o único de entre os 1.400 testes efetuados desde 13 de agosto na bolha criada para a realização dos dois torneios.

De acordo com as diretrizes do Departamento de Saúde e do Centro de Controle de Doenças (CDC) do Estado de Nova York e protocolos de saúde e segurança do torneio, “o indivíduo deve observar pelo menos 10 dias de quarentena".

“Além disso, a identificação das pessoas que estiveram em contacto com o indivíduo com teste positivo foi iniciada para determinar se alguém deve ficar em quarentena durante 14 dias”, acrescenta o comunicado.

Este caso surge a quatro dias do início do torneio de Cincinati, transferido para Nova Iorque, no complexo de Flushing Meadows, onde em 31 de agosto principia o US Open, um dos quatro torneios do 'Grand Slam'.

Face ao número de casos galopantes no país, vários dos principais jogadores mundiais vão falhar o Open dos Estados Unidos, como o número dois do mundo e campeão do torneio, o espanhol Rafael Nadal, bem como Gaël Monfils (9.º), Fabio Fognini (11.º) e Stan Wawrinka (17.º).

Do lado feminino, a número um do mundo Ashleigh Barty, Simona Halep (2.ª) e a atual campeã Bianca Andreescu (6.ª) também estarão ausentes.

Assim, o líder do ranking ATP, o sérvio Novak Djokovic, buscará o seu 18.º título num grande torneio, tendo como principais rivais Dominic Thiem (3.º), Daniil Medvedev (5.º), atual campeão em Cincinnati e finalista do Open dos Estados Unidos), Stefanos Tsitsipas (6.º) e Alexander Zverev (7.º).

No top 10 feminino haverá apenas quatro jogadores, a checa Karolina Pliskova (3.ª), as norte-americanas Sofia Kenin (4.ª) e Serena Williams (9.ª) e a japonesa Naomi Osaka (10.ª).

Os Estados Unidos são o país mais afetado em termos de mortes e casos, com 170.497 óbitos para 5.438.325 casos, de acordo com uma contagem da Universidade Johns Hopkins.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 774.832 mortos e infetou mais de 21,9 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.