O tenista sérvio Novak Djokovic, líder da classificação mundial, afirmou hoje que cada ano se sente mais confortável no Open da Austrália, admitindo ter uma “uma história de amor” com o primeiro Grand Slam da temporada.

“Sinto-me mais confortável a cada ano que regresso. Quando entrei no ‘court’ este ano para um treino, as memórias do ano passado, e de outros anos em que ganhei, voltaram, e isso trouxe-me grande confiança”, afirmou Djokovic, em conferência de imprensa,

O sérvio, que procura a nona vitória na Austrália, admitiu mesmo viver uma “história de amor” com o torneio, cuja 109.ª edição do Open da Austrália vai decorrer entre segunda-feira e 21 de fevereiro.

“É uma história de amor, provavelmente algo comparável, embora não na mesma medida, ao que o Rafa [Nadal] sente em relação a Roland Garros [no qual o espanhol tem 13 títulos]. Todos os anos volto e sinto-me sempre mais confortável”, afirmou.

Djokovic, vencedor das últimas edições, vai estrear-se na edição deste ano, que conta com os portugueses Pedro Sousa e Frederico Silva, frente ao francês Jeremy Chardy, 66.º do ranking, contra quem nunca perdeu.

Devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus, o torneio terá apenas 30 mil espetadores por dia em Melbourne Park, metade da capacidade habitual.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.