O presidente da Federação Portuguesa de Ténis enalteceu hoje o acesso inédito de três portugueses ao quadro principal do Open da Austrália, após a qualificação de Frederico Silva e as entradas diretas de João Sousa e Pedro Sousa.

O jogador natural das Caldas da Rainha, número 182.º do ‘ranking’ ATP, bateu hoje o francês Gregoire Barrere (110.º ATP) no terceiro e último encontro do ‘qualifying’, com os parciais de 6-3 e 6-4, e garantiu assim a estreia no quadro principal de um torneio do Grand Slam, após a conquista dos títulos de juniores no Open dos Estados Unidos de 2012 e Roland Garros de 2013, na competição de pares.

“É mais um feito histórico para o ténis português”, começa por distinguir Vasco Costa, presidente da Federação Portuguesa de Ténis, em declarações à Lusa, referindo-se à presença inédita de três representantes nacionais na principal grelha de um torneio do Grand Slam.

Ainda antes da qualificação do esquerdino Frederico Silva, de 25 anos, já João Sousa, número um português e 92 da hierarquia mundial, e Pedro Sousa, 106.º colocado na mesma hierarquia, haviam assegurado o acesso direto ao torneio que, este ano, devido à pandemia de covid-19, foi adiado e terá início em 08 de fevereiro, em Melbourne Park.

“A qualificação de Frederico Silva é motivo de grande satisfação, espelha o nível do ténis português e é totalmente merecido. Vamos ter três jogadores no quadro masculino de um ‘major’ pela primeira vez e isso é de enaltecer ainda mais. O João nos últimos anos tem sido presença assídua, graças ao seu trabalho, mas tanto o Pedro como o Frederico lutaram muito para alcançar esta qualificação”, frisa Vasco Costa.

Já Rui Machado, diretor técnico nacional e capitão da Taça Davis, além de sublinhar o “marco histórico na carreira de um jogador [que é] passar, pela primeira vez, a fase de qualificação de um torneio do Grand Slam, seja ele qual for”, lembra que Frederico Silva e o seu treinador Pedro Felner, a quem já deu os parabéns, “têm feito um excelente trabalho nos últimos anos.”

“O Frederico é um excelente profissional, muito comprometido e, se alguém merece ter sucesso, é ele. O facto de termos três portugueses num ‘major’, por sua vez, é o confirmar de um bom momento do ténis português e que esperemos se repita mais vezes”, defende.

Além de sustentar que Frederico Silva “é ainda muito jovem e está a dar os primeiros passos no circuito ao mais alto nível”, Rui Machado manifesta ainda o desejo de ver o jogador das Caldas da Rainha “coincidir mais vezes não só com estes jogadores mais experientes [João Sousa e Pedro Sousa], mas também com outros jovens portugueses, que certamente vão continuar a surgir” ao mais alto nível.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.