O presidente da Federação Portuguesa de Ténis, Vasco Costa, considerou esta sexta-feira que a vitória de João Sousa na segunda ronda do Open dos Estados Unidos foi um feito excelente para a modalidade em Portugal.

João Sousa, 95.º do Mundo, tornou-se no primeiro português a atingir a terceira ronda do torneio do Grand Slam nova-iorquino, ao derrotar o finlandês Jarkko Nieminen, 41.º, por 1-6, 6-3, 3-6, 6-3, 6-4.

«João Sousa obteve uma grande vitória para o ténis português. Este triunfo é muito importante para o desenvolvimento da modalidade em Portugal, para atrair os jovens para a prática desde desporto», disse Vasco Costa, citado pela assessoria de imprensa da federação.

Na próxima ronda, João Sousa vai defrontar o número um mundial, o sérvio Novak Djokovic, que hoje bateu o alemão Benjamin Becker, por 7-6 (7-2), 6-2, 6-2.

«É um adversário muito difícil, mas tudo é possível», disse Vasco Costa, para quem a boa prestação de João Sousa «é um bom prenúncio para a eliminatória de Portugal na Moldávia», da terceira e decisiva ronda do Grupo II da zona euro-africana da Taça Davis.

O tenista vimaranense, número um português, igualou a presença de Michelle Larcher de Brito (Roland Garros, em 2009, e Wimbledon, em 2013) e de Frederico Gil (Open da Austrália, em 2012).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.