O já expectável confronto entre o espanhol Rafael Nadal, recordista com 13 títulos de Roland Garros, e o número um mundial Novak Djokovic confirmou-se hoje, após ambos os tenistas se terem apurado para as meias-finais.

Numa jornada empolgante no segundo torneio do 'Grand Slam' da temporada, pautada por dois encontros femininos e outros dois masculinos dos quartos de final, o esquerdino de Manacor foi o primeiro a entrar em ação e diante o argentino Diego Schwartzman assegurou, no ‘court’ Philippe-Chatrier, pela 14.ª vez, a presença entre os semifinalistas, pelos parciais de 6-3, 4-6, 6-4 e 6-0.

Apesar de ter cedido o segundo parcial ao número dez mundial, vendo assim interrompida uma série de 36 ‘sets’ consecutivos sem perder em Roland Garros, Rafael Nadal, de 35 anos, reagiu jogando ao seu melhor nível e estabeleceu um novo recorde, ao alcançar o seu 105.º triunfo na catedral da terra batida, onde só perdeu em duas ocasiões, em duas horas e 45 minutos.

“Comecei mal no segundo ‘set’, depois consegui recuperar. Mas no 4-4, o vento voltou, e eu fiz um mau jogo e fiz uma dupla falta no jogo seguinte. Precisava de ser mais agressivo e consegui durante o resto do encontro. Venci hoje um encontro importante contra um adversário difícil. Consegui encontrar uma forma de jogar o meu melhor ténis nos momentos em que realmente precisava”, afirmou o número três do ‘ranking’ ATP.

Na perseguição pela 14.ª vitória no ‘major’ parisiense e 21.º título do Grand Slam, Rafael Nadal terá pela frente, na próxima fase, um embate com o sérvio Novak Djokovic, campeão de Roland Garros em 2016.

Tal como o espanhol, o tenista sérvio também perdeu um ‘set’ no duelo com o italiano Matteo Berrettini, mas conseguiu recuperar e ao terceiro ‘match point’ que dispôs qualificou-se, pela 11.ª vez, para as meias-finais, pelos parciais de 6-3, 6-2, 6-7 (5-7) e 7-5, num encontro que chegou a ser interrompido para evacuar as bancadas, devido ao recolher obrigatório em Paris.

A outra meia-final de Roland Garros vai opor o grego Stefanos Tsitsipas, quinto do mundo, ao alemão Alexander Zverev, sexto da hierarquia.

Na competição feminina, Roland Garros já tem garantido uma nova campeã de torneios do Grand Slam, com a última vitória do dia assinada pela grega Maria Sakkari diante da polaca Iga Swiatek, que defendia o título na terra batida do ‘major’ francês.

Depois da vitória da checa Barbora Krejcikova, número 33 na hierarquia WTA, frente à norte-americana Coco Gauff, por 7-6 (8-6) e 6-3, após anular cinco ‘set points’ na primeira partida, foi a vez da tenista grega (18.ª WTA) eliminar a favorita Iga Swiatek (9.ª WTA), em apenas dois ‘sets’, por duplo 6-4, em uma hora e 35 minutos.

Enquanto Maria Sakkari vai defrontar agora Barbora Krejcikova, a outra meia-final será disputada pela russa Anastasia Pavlyuchenkova (32.ª WTA) e a eslovena Tamara Zidansek (85.ª WTA), garantindo assim uma final entre duas estreantes em finais do Grand Slam.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.