O tenista português Nuno Borges disse hoje estar “motivado” para terminar uma época “inesquecível” com uma boa prestação no Maia Open, torneio na sua terra natal, que arrancou no domingo.

O tenista luso, que ocupa o 93.º lugar do 'ranking' ATP, é o primeiro cabeça de série do ‘challenger’ maiato e, apesar de reconhecer “o cansaço de uma época longa” garantiu “energia extra” para jogar em casa.

“Estou muito entusiasmado por jogar aqui na Maia e espero acabar o ano em grande. Foi uma época de altos e baixos, mas há uma motivação extra por jogar em casa. Dá outra energia após um ano muito comprido”, disse.

Confessando estar “muito contente” pela sua posição no ranking ATP, como segundo melhor português nessa qualificação atrás de João Sousa (81.º), Nuno Borges mostrou ambição de melhorar a sua prestação.

“O ‘ranking’ está sempre no nosso pensamento, são essas posições que nos dão acesso aos torneios. É importante estar focado em melhorar a minha prestação, porque a longo prazo isso compensa”, notou o tenista luso, que atingiu a melhor classificação da carreira precisamente há uma semana, ao figurar na 91.ª posição da hierarquia mundial.

Lançando já um olhar para os objetivos para 2023, Nuno Borges disse esperar fazer “mais e melhor” para tentar superar a prestação de 2022, mostrando a intenção de fazer mais torneios no circuito ATP.

“Sempre que puder vou jogar no ATP, porque sinto que ainda tenho trabalho a fazer. Haverá novos objetivos e novos torneios para disputar, porque qualquer uma dessas competições pode mudar o rumo da época”, confessou.

Para já, o foco Nuno Borges estará neste Maia Open, tendo o seu encontro de estreia esta terça-feira, frente a Denis Istomin, do Usbequistão, numa partida “especial” para o tenista nortenho.

“Lembro que ainda há uns anos, como criança, estava aqui a bater bolas com os meus ídolos João Cunha Silva e Nuno Marques, e agora estou a disputar o torneio com ambições. Faz-nos apreciar todos esses momentos do percurso, com a motivação e responsabilidade de ser um exemplo para as novas gerações”, desabafou.

Desses tempos de criança do tenista lembra-se João Maio, diretor do Maia Open e da Escola de Ténis de Maia, que considera que o sucesso de Nuno Borges é uma “inspiração” para todos os jovens que gostam da modalidade

“Tenho imagens filmadas do Nuno, com oito ou nove anos, a interagir com tenistas já consagrados. Sendo ele um atleta da casa, que está entre os melhores do mundo, é um enorme prazer tê-lo no torneio e inspirar novos atletas”, disse.

Sobre a competição em si, João Maio acredita que será um “bom torneio, com excelentes jogadores” e contando com “uma grande presença do público para apoiar os tenistas portugueses”.

“A nossa ideia, partilhada pela Câmara, é continuar a elevar a qualidade do Maia Open para recolocá-lo num patamar mais alto. Isso vai ajudar-nos a inspirar e criar mais jogadores”, concluiu o responsável.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.