O tenista suíço Stanislas Wawrinka esperou cinco encontros em torneios do Grand Slam para bater o compatriota e amigo Roger Federer, o que aconteceu hoje em Roland Garros e lhe valeu a primeira presença nas meias-finais de Paris.

Após quatro desaires nos seus confrontos anteriores em 'majors', o número nove do mundo bateu o segundo do 'ranking', por 6-4, 6-3 e 7-6 (7-4), e deu mais um passo na sua afirmação perante Federer, depois de o ter vencido na final do Masters 1000 de Monte Carlo de 2014, pondo fim a uma série de 11 derrotas seguidas.

Hoje, sem sinais de inibição frente ao recordista de vitórias em torneios do Grand Slam, Wawrinka manteve o adversário praticamente sempre 'fora' do encontro, com pancadas precisas e potentes, a contrariar também as rajadas de vento que se sentiram no 'court' Suzanne-Lenglen.

"As condições eram muito difíceis. Mas eu sei bem o que tenho de fazer nestas condições contra Roger. Tenho de bater com força. Estou muito orgulhoso do meu jogo hoje", afirmou Wawrinka, qua há um ano saiu na primeira ronda, depois de ter começado a época com vitória no Open da Austrália.

Federer tentou diversas abordagens, mas não encontrou a fórmula certa para contrariar o serviço de Wawrinka nem para o jogo de rede. "Estava difícil [com o vento] e isso torna ainda mais impressionante a forma como Stan é capaz e jogar. Temos de lhe render homenagem por isso", afirmou o ex-número um do mundo, já com a atenção virada para Wimbledon, onde espera conquistar um oitavo título.

Seis meses após a vitória da Suíça sobre a França na final da Taça Davis, Wawrinka vai reencontrar Jo-Wilfried Tsonga, número 15 do 'ranking', que deixou pelo caminho o quinto da hierarquia, o japonês Kei Nishikori, vencendo por 6-1, 6-4, 4-6, 3-6 e 6-3, para atingir as meias-finais pela segunda vez.

O francês estava a dominar em absoluto, mas a queda de um placa de metal de um dos marcadores eletrónicos sobre uma das tribunas do 'court' central, que feriu três pessoas, provocou uma interrupção e modificou o decorrer do encontro.

Nishikori regressou dos balneários transfigurado e igualou o encontro, mas Tsonga acabou por resolver o confronto a seu favor, graças ao seu serviço é à sua direita.

Na jornada de hoje assistiu-se também ao ressurgimento da sérvia Ana Ivanovic, cuja única vitória no Grand Slam aconteceu em Roland Garros, em 2008, e que, sete anos depois, volta a chegar a uma meia-final. A sétima jogadora da classificação mundial, que então chegou a número um momentaneamente, bateu a ucraniana Elina Svitolina, por 6-3 e 6-2.

Nas meias-finais, Ivanovic vai enfrentar a chega Lucie Safarova, número 13 do circuito feminino, que bateu a espanhola Gabine Muguruza, por 7-6 (7-3) e 6-3, depois de ter afastado na ronda anterior a russa Maria Sharapova, segunda da hierarquia e detentora do título.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.