O campeão em título Rafael Nadal e Roger Federer, número três mundial, confirmaram hoje o estatuto de favoritos e avançaram para a terceira ronda de Roland Garros, segundo torneio do 'Grand Slam' da temporada.

Num dia em que Stefanos Tsitsipas, Kei Nishikori e Sloane Stephens, finalista de 2018, foram obrigados a trabalhos redobrados para vencer, o espanhol Nadal e o suíço Federer asseguraram facilmente a qualificação para a fase seguinte do torneio de terra batida parisiense.

Na competição masculina, o primeiro a entrar em ação foi o esquerdino natural de Manacor que persegue o 12.º título na terra batida parisiense. E hoje, no Suzanne-Lenglen, Nadal gastou duas horas e nove minutos para afastar o 'qualifier' alemão Yannick Maden, 114.º colocado do ranking ATP, por 6-1, 6-2 e 6-4.

"Foi um bom encontro pelos dois primeiros 'sets'. Não foi inacreditável, mas foi um 6-1 e 6-2 com boas sensações. No terceiro, para ser sincero, perdi um pouco a concentração e a intensidade, tornando o encontro mais difícil", explicou Nadal, número dois mundial.

O próximo adversário será o belga David Goffin - venceu Miomir Kecmanovic, por 6-2, 6-4 e 6-3 -, que Rafael Nadal considera um "jogador complexo", embora esteja em vantagem no confronto direto (3-1) e tenha vencido os três encontros disputados em terra batida.

Bem mais rápida foi a exibição e o triunfo de Roger Federer no renovado 'court' Philippe Chatrier, onde eliminou o germânico e 'lucky loser' Oscar Otte (144.º ATP), pelos parciais de 6-4, 6-3 e 6-4, ao cabo de uma hora e 36 minutos.

Dez anos depois de conquistar o seu único título em Roland Garros e de uma ausência de três anos na cidade luz, o suíço, de 37 anos, vai agora prosseguir a sua caminhada frente ao jovem norueguês Casper Ruud, naquele que será o primeiro desafio entre ambos.

Bem mais complicada foi a tarefa do jovem grego Stefanos Tsitsipas, de 20 anos, que ganhou recentemente o Estoril Open, o terceiro título ATP da carreira. O sexto cabeça de série foi surpreendido pelo boliviano Hugo Dellien, que venceu o primeiro 'set', e viu-se obrigado a jogar quatro partidas para sentenciar a sua passagem à terceira ronda, por 4-6, 6-0, 6-3 e 7-5, em duas horas e 49 minutos.

Consumado o triunfo, Tsitsipas vai agora medir forças com o sérvio Filip Krajinovic (60.º ATP), protagonista do duelo mais longo até ao momento em Paris, com quatro horas e 16 minutos, ante o espanhol Roberto Carballes Baena, derrotado por 6-4, 6-4, 6-7(1-7), 3-6 e 8-6.

À semelhança de Stefanos Tsitsipas, o japonês Kei Nishikori, número sete mundial, também entrou a perder no seu encontro com o francês Jo-Wilfried Tsonga, responsável pela sua eliminação nos quartos de final de Roland Garros, em 2015.

No nono desafio entre ambos, Nishikori dilatou, contudo, a vantagem no confronto direto (6-3), ao confirmar a vitória, pelos parciais de 4-6, 6-4, 6-4 e 6-4, em pouco mais de três horas, e a qualificação para a terceira ronda frente ao sérvio Laslo Djere (32.º ATP), vencedor do duelo com o australiano Alexei Popyrin (109.º ATP).

Entre as senhoras, e já depois da confirmação da desistência da ucraniana Kateryna Kozlova com uma infeção viral, permitindo a passagem da compatriota Elina Svitolina (9.ª WTA) para a terceira jornada, a norte-americana e finalista de 2018, Sloane Stephens, bateu a espanhola Sara Sorribes Tormo, por 6-1 e 7-6 (7-3). O próximo compromisso será com a eslovaca Polona Hercog (71.ª WTA).

Já a número dois mundial, Karolina Pliskova, nem esteve uma hora no novo 'court' Simonne-Mathieu para ultrapassar a eslovaca Kristina Kucova (203.ª WTA), por duplo 6-2, enquanto Kiki Bertens, quarta pré-designada, foi obrigada a desistir do duelo com a eslovaca Viktoria Kuzmova, quando perdia por 3-1, por não se sentir bem.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.