O tenista sérvio Novak Djokovic, número um mundial, e o grego Stefanos Tsitsipas qualificaram-se hoje sem dificuldade para a terceira ronda de Roland Garros, enquanto o canadiano Dennis Shapovalov e a checa Karolina Pliskova foram eliminados.

Novak Djokovic, campeão de Roland Garros em 2016 e que procura o 18.º título do 'Grand Slam' em Paris, voltou hoje ao ‘court’ Philippe Chatrier para defrontar o lituano Ricardas Berankis (66.º ATP), que não foi capaz de criar qualquer tipo de dificuldade ao adversário e perdeu em três ‘sets’, pelos parciais de 6-1, 6-2 e 6-2, em apenas uma hora e 23 minutos.

Graças aos 25 ‘winners’, contra 14 erros não forçados, num encontro em que só perdeu cinco jogos, Djokovic conquistou a 70.ª vitória na terra batida parisiense, partilhando o segundo lugar da lista de jogadores com mais triunfos em Roland Garros, liderada pelo espanhol Rafael Nadal, campeão 12 vezes e detentor de 95 vitórias.

“Os torneios do 'Grand Slam' são obviamente os maiores do nosso desporto. Historicamente contam mais. Por isso, claro que ganhando tantos encontros em cada torneio do 'Grand Slam' é uma grande conquista. Obviamente que me deixa orgulhoso e feliz”, reconheceu o sérvio, de 33 anos, que vai agora defrontar o colombiano e ‘lucky loser’ Daniel Elahi Galan.

O grego Stefanos Tsitsipas, por sua vez, depois de um duro teste na estreia frente ao espanhol Jaume Munar, em cinco partidas, hoje também teve uma tarefa bem mais facilitada, batendo o uruguaio Pablo Cuevas (60.º ATP), que havia derrotado na final do Estoril Open em 2019, em três ‘sets’, por 6-1, 6-4 e 6-2, ao cabo de uma hora e 28 minutos.

Consumado o triunfo, o número seis do ‘ranking’ ATP garantiu o acesso à fase seguinte e um embate com o eslovaco Aljaz Bedene (56.º ATP), no mesmo dia em que o canadiano Dennis Shapovalov, nono cabeça de série, foi surpreendido pelo espanhol Roberto Carballes Baena (101.º ATP).

Depois de ter servido para fechar o encontro a 5-4 e 6-5, o jovem, de 21 anos, acabou eliminado em cinco ‘sets’, com os parciais de 7-5, 6-7 (5-7), 6-3, 3-6 e 7-6 (7-2), num duelo que durou cinco horas e permitiu a continuidade de Carballes Baena e um embate com o búlgaro Grigor Dimitrov, responsável pela derrota do 'carrasco' de João Sousa, o eslovaco Andrej Martin, na segunda jornada.

Tal como o russo Andrey Rublev, número 12 mundial, que precisou de quatro partidas para se impor ao espanhol Alejandro Davidovich Fokina, por 7-5, 6-1, 3-6 e 6-1, o compatriota Karen Khachanov também só alcançou a qualificação para a terceira ronda ao fim de quatro ‘sets’, pelos parciais de 6-1, 6-7 (4-7, 7-6 (9-7) e 7-6 (7-2), assim como italiano Matteo Berrettini (8.º ATP), após o triunfo ante o sul-africano Lloyd Harris, por 6-4, 4-6, 6-2 e 6-3.

Na competição feminina, a letã Jelena Ostapenko, campeã de Roland Garros em 2017, dominou a checa Karolina Pliskova, segunda pré-designada e número quatro da hierarquia WTA, em dois ‘sets’, por 6-4 e 6-2, e marcou encontro com a espanhola Paula Badosa, que ultrapassou a norte-americana Sloane Stephens, vice-campeã em 2018, pelos parciais de 6-4, 4-6 e 6-2.

Tal como Ostapenko, de 23 anos, a norte-americana Sofia Kenin, quarta cabeça de série e campeã do Open da Austrália, também assegurou a continuidade em prova diante a romena Ana Boudan (93.ª WTA), com os parciais de 3-6, 6-3 e 6-2, assim como a checa Petra Kvitova (11.ª WTA) frente à italiana Jasmine Paolini, por duplo 6-3.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.