O tenista Nuno Borges está em contagem decrescente para se estrear no quadro principal de um torneio do Grand Slam em Roland Garros e garante estar “decidido a dar tudo contra Karen Khachanov”, o adversário da primeira ronda.

“Posso dizer que estou muito entusiasmado para me estrear no quadro principal contra um grande jogador. É, sem dúvida, o meu melhor momento de carreira e tenciono continuar a evoluir nos próximos tempos. Vou dar tudo contra o Khachanov e espero estar à altura do desafio”, afirmou o maiato, em declarações à Lusa.

Borges, número dois português e 126.º colocado no ‘ranking’ ATP, não sabe se teve “sorte ou azar no sorteio”, realizado hoje para colocação dos ‘qualifiers’, mas confessa “mal poder esperar para entrar em campo” e defrontar, pela primeira vez, o tenista russo, antigo número oito mundial e atual 24.º classificado.

“É um jogador agressivo, grande e sei que joga bem em todas as superfícies. Não tem grandes limitações e, por isso, é que está onde está. Se não me engano, já esteve no ‘top 10’ mundial, por isso tenho um grande desafio pela frente”, defende o jovem, de 25 anos.

Nuno Borges disputou o seu primeiro torneio ATP no Estoril Open, em 2021, passando pela fase de qualificação e atingindo a segunda ronda do quadro principal, e este ano voltou a igualar o feito, mas graças a um ‘wild card’, antes de conquistar, ao lado de Francisco Cabral, o título de pares.

Ainda antes do feito no Clube de Ténis do Estoril, onde formou com Cabral a terceira dupla 100% portuguesa a ganhar uma prova ATP de pares, depois de João Cunha e Silva/Nuno Marques em Casablanca (1997) e de Emanuel Couto/Bernardo Mota na Maia (1996), Nuno Borges venceu a solo dois ‘challengers’, Antalya, em novembro de 2021, e Barletta nas vésperas do Estoril Open, em abril.

No início da temporada, o tenista português havia assegurado o acesso à fase de qualificação do Open da Austrália, mas contraiu o novo coranavírus na viagem para Melbourne e viu o sonho de se estrear num ‘major’ adiado para Roland Garros, garantido, esta semana, através de três vitórias no ‘qualifying’.

 “O meu objetivo era entrar no quadro principal. Agora é aproveitar o momento e desfrutar ao máximo, porque sinto que posso fazer um bom encontro e, quem sabe, ganhar. Não coloco limites, vou a jogo para ganhar e o resto há de vir”, rematou Borges.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.