O tenista espanhol Carlos Alcaraz, ausente das ATP Finals, garantiu hoje que será o número um mundial no final da temporada, depois de Casper Ruud ter ‘eliminado’ Rafael Nadal da competição, ao vencer o norte-americano Taylor Fritz.

O destino do mais experiente dos espanhóis estava nas mãos do norueguês e o tenista que derrotou na final de Roland Garros não teve ‘piedade’ do seu ídolo: Ruud venceu Fritz com os parciais de 6-3, 4-6 e 7-6 (8-6), em duas horas e 12 minutos, e eliminou o número dois mundial da competição que reúne os oito melhores tenistas da época em Turim.

Quando entrou em ‘court’, o quarto tenista do ‘ranking’ ATP sabia que só precisava de ganhar um ‘set’ ao norte-americano para ‘condenar’ Nadal, com o espanhol a ficar definitivamente afastado quer das meias-finais das ATP Finals – resta-lhe um encontro no Grupo Verde, frente a Ruud, para ‘cumprir calendário’ -, quer do número um mundial.

‘Rafa’ precisava de ganhar o único grande título que lhe falta no currículo para ‘destronar’ Carlos Alcaraz, que assim, aos 19 anos, será o mais jovem tenista a terminar o ano como número um mundial desde a criação do ranking ATP em 1973 e o segundo espanhol, depois de Nadal, a alcançar tal feito.

Ainda antes de ser ‘formalmente’ eliminado das ATP Finals, Nadal já se dava por derrotado, depois de um encontro, perdido em dois ‘sets’ diante do canadiano Félix Auger-Aliassime, em que foi uma sombra de si mesmo.

“Devo aceitar que a minha época de 2023 começa amanhã. A única coisa que posso fazer é trabalhar para me permitir a possibilidade de jogar bem em 2023. […] Não penso que me tenha esquecido de como se joga ténis, nem como ser forte mentalmente. Só preciso de recuperar a confiança necessária para jogar o nível de ténis que preciso”, resumiu o maiorquino de 36 anos.

Nadal perdeu os três encontros – dois na fase de ‘round robin’ das Finals – que disputou desde que ‘caiu’ nos oitavos de final do Open dos Estados Unidos, num final de época atribulado essencialmente fora dos ‘courts’, devido aos problemas vividos pela sua mulher antes do nascimento do filho Rafael há pouco mais de um mês.

Após uma fulgurante primeira metade da temporada, na qual conquistou o Open da Austrália e Roland Garros e se tornou no recordista de títulos do ‘Grand Slam' (22), o espanhol despede-se sem glória de 2022, embora ainda tenha um encontro para disputar no Grupo Verde, frente a Ruud, que hoje demonstrou maior capacidade para lidar com a pressão para impor-se a Fritz.

O norueguês parecia estar embalado para um triunfo em dois parciais, mas o número nove mundial, que só entrou nas ATP Finals devido à ausência por lesão de Alcaraz e já tinha surpreendido ao derrotar Nadal na primeira jornada, elevou o nível de jogo, empurrando a decisão do encontro para o ‘tie-break’ do terceiro e decisivo ‘set’.

Aí, Ruud desperdiçou dois ‘match-points’, mas acabou por fechar o encontro, assegurando a qualificação, pelo segundo ano consecutivo, para as meias-finais da competição.

Fritz e Félix Auger-Aliassime, cada um com uma vitória na ‘poule’ (frente a Nadal), discutirão entre si quem será o outro tenista do Grupo Verde a avançar para as ‘meias’ das ATP Finals, num encontro agendado para quinta-feira.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.