O tenista sérvio Novak Djokovic, número um mundial, ficou esta sexta-feira “isolado” na primeira metade do quadro de singulares do torneio inglês de Wimbledon e só defrontará na final um dos outros grandes favoritos do terceiro Grand Slam da época.

O sorteio realizado hoje para a prova, que começa segunda-feira, foi favorável ao líder do “ranking” e bastante mais exigente para as outras três maiores figuras: o britânico Andy Murray, eleito do público da casa, o suíço Roger Federer, à procura do oitavo título em Londres, e o espanhol Rafael Nadal, “rei” da terra batida, mas já com duas “coroas” em Wimbledon.

Federer, detentor do troféu, vai estrear-se diante Victor Hanescu e pode cruzar-se com Nadal, o maior rival do helvético na última década, nos quartos-de-final. Quem vencer este teórico encontro pode defrontar na ronda seguinte Murray.

O britânico, derrotado na final de 2012, tenta mais uma vez acabar com um “jejum” de 77 anos. Fred Perry, campeão entre 1934 e 1936, foi o último jogador da “casa” a erguer o troféu, um feito que Murray quer repetir.

Na primeira ronda, o escocês defronta o alemão Benjamin Becker, mas para chegar pela segunda vez consecutiva à final tem de superar mais dois favoritos. Se chegar ao encontro decisivo, pode encontrar Djokovic, que ganhou 11 dos 18 frente a frente com o britânico.

No plano teórico, o líder do “ranking” mundial, campeão em 2011, tem caminho aberto na luta por um segundo troféu, iniciando a campanha de 2013 frente a outro alemão, Florian Mayer.

Gastão Elias, o único representante português no quadro masculino e número 123 da classificação mundial, vai defrontar o ucraniano Alexandr Dolgopolov, 24.º do mundo, mas que já foi 13.º em janeiro do ano passado.

Em femininos, a norte-americana Serena Williams, que acaba de vencer Roland Garros sem grande oposição, é a maior favorita a um quarto título em Wimbledon, depois de 2008, 2009 e 2012. A número um do mundo começa o trajeto contra a acessível luxemburguesa Mandy Minella, proveniente do torneio de qualificação.

A bielorrussa Viktoria Azarenka, que defronta a portuguesa Maria João Koehler na primeira ronda, ficou colocada na outra ponta do quadro e, caso confirme nos “courts” de relva a condição de número dois do mundo, pode cruzar-se com Maria Sharapova nas meias-finais.

A outra portuguesa em prova no torneio feminino, Michelle Larcher de Brito, que superou quarta-feira o torneio de qualificação para garantir a entrada no quadro principal, vai cruzar-se com a norte-americana Melanie Oudin.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.