O tenista português Pedro Sousa reconheceu hoje, após a eliminação nos quartos de final do Lisboa Belém Open, que poderia ter aproveitado as oportunidades durante o encontro frente a Gianluigi Quinzi, mas atribuiu mérito ao jovem italiano.

"É normal [a reviravolta]. Às vezes acontece. Hoje aconteceu a ele, ontem [na quinta-feira] foi a mim. Eu não aproveitei as oportunidades, ele aproveitou e subiu o seu nível durante o jogo", começou por dizer, depois de ter vencido o primeiro ‘set' (6-3).

O número 154.º do ranking ATP não se mostrou surpreendido com qualidade apresentada no ‘court' por Gianluigi Quinzi e abordou também as duas paragens do italiano durante o encontro para ser assistido ao pé esquerdo, afastando a hipótese de ser estratégia do adversário.

"Algumas vezes há jogadores que fazem isso, mas não foi por isso que perdi. Ele jogou melhor e acabou por merecer a vitória. Não fiquei surpreendido, já foi número um de juniores e é uma das esperanças do ténis. Sem dúvida que vai subir mais, porque tem nível para isso", argumentou.

Para Pedro Sousa, as condições atmosféricas não foram em nada abonatórias para as duas horas e 25 minutos que esteve em campo, confessando que o desgaste físico começou a afetar o seu jogo no derradeiro parcial.

"Hoje realmente esteve muito quente. Fiquei com um bocadinho mais de nervos por estar a jogar aqui e também comecei a ficar mais cansado, porque as cãibras apareceram. Tentei alongar, refrescar, mas não deu", explicou o sétimo cabeça de série do torneio.

Contudo, o tenista luso, último a sair de cena do ‘challenger' da capital, considera que a presença nos quartos de final foi "positiva", revelando que "esperava chegar às ‘meias'".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.