O grego Stefanos Tsitsipas qualificou-se hoje, pela primeira vez, para as meias-finais de Roland Garros, terceiro ‘major’ da temporada, ao bater o russo Andrey Rublev, e defronta o sérvio Novak Djokovic, que bateu o espanhol Pablo Carreño Busta.

Depois de se estrear entre os quatro finalistas de um torneio do ‘Grand Slam’ no Open da Austrália em 2019, o jovem helénico, que aos 22 anos ocupa o sexto lugar do ‘ranking’ ATP, conseguiu a desforra, em três ‘sets’, com os parciais de 7-5, 6-2 e 6-2, diante Rublev (12.º ATP), também de 22 anos, com quem havia perdido na final do ATP 500 de Hamburgo.

Apesar de ter estado em desvantagem na primeira partida (3-5), Tsitsipas, campeão do Estoril Open de 2019, conseguiu recuperar, concretizando ‘break points’ em oito oportunidades e assinando 35 ‘winners’ face a 17 erros não forçados, para se manter na discussão pelo título francês.

“Sinto-me confortável a jogar neste ‘court’ e, apesar do mau início e de um ‘break’ abaixo, pensei no grande lutador que sou. Tratou-se também de procurar soluções nos momentos difíceis e colocar o meu cérebro a funcionar”, explicou o grego ainda no ‘court’ Philippe-Chatrier, após a 27.ª vitória da temporada.

O próximo adversário de Stefanos Tsitsipas é o sérvio Novak Djokovic, campeão na terra batida parisiense em 2016, que se impôs nos quartos de final ao espanhol Pablo Carreño Busta (18.º ATP) em quatro partidas, pelos parciais de 4-6, 6-2, 6-3 e 6-4, ao cabo de três horas e 10 minutos.

O número um mundial, que chegou a pedir assistência médica em ‘court’ para uma massagem ao braço esquerdo, cedeu o primeiro ‘set’, naquele que foi o seu primeiro verdadeiro teste no ‘major’ francês, mas, graças a 42 ‘winners’ contra 29 erros não forçados, assegurou pela 10.ª vez a presença nas meias-finais, mantendo a esperança de lutar pelo 18.º troféu do ‘Grand Slam’.

Na competição feminina, à semelhança dos quartos de final masculinos, não houve surpresas.

A checa Petra Kvitova, número 11 da hierarquia WTA, superou a alemã Laura Siegemund (66.ª WTA), em apenas dois ‘sets’, por duplo 6-3, para assegurar o regresso às meias-finais, depois de integrar o lote de quatro finalistas em 2012.

Graças ao triunfo, a bicampeã de Wimbledon (2011 e 2014) e vice-campeã do Open da Austrália de 2019 vai medir forças com a norte-americana Sofia Kenin (6.ª WTA).

A vencedora do primeiro ‘major’ da temporada precisou de três partidas para eliminar a compatriota Danielle Collins, com os parciais de 6-4, 4-6 e 6-0, e garantir a presença inédita nas meias-finais de Roland Garros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.