Roger Federer e Serena Williams, os dois mais titulados campeões de Wimbledon em atividade, tiveram hoje em Londres um arranque de torneio sem grandes problemas e apuraram-se para a segunda ronda sem ceder um 'set'.

A nível de portugueses, o fim de linha em singulares chega em simultâneo para João Sousa e Gastão Elias, o que deixa o quadro sem qualquer luso para a segunda ronda.

Em dia de poucas surpresas, regista-se ainda assim, entre os homens, a queda do número seis da lista, o búlgaro Gregor Dimitrov, às mãos do suíço Stanislav Wawrinka, um tenista que já esteve entre os melhores do mundo, mas entretanto caiu para 225.º.

No quatro feminino também há uma queda de vulto a assinalar, a da norte-americana Sloane Stephens, última vencedora no US Open e quarta do 'ranking'. Perde com a croata Donna Vekic.

Oito vezes campeão em Wimbledon, Roger Federer resguardou-se na época para aparecer bem na relva. A um mês de completar 37 anos, continua a mostrar a excelência de jogo neste piso e 'despachou' o croata Dusan Lajovic (58.º) em uma hora e 19 minutos, com 6-1, 6-3 e 6-4.

Federer é o segundo do 'ranking' ATP, atrás do espanhol Rafael Nadal, mas em Wimbledon a organização coloca-o no topo, atendendo ao seu historial no torneio, nomeadamente o título do ano passado.

Dos quatro mais cotados, Nadal só joga na terça-feira, tal como o alemão Alexander Zverev. O croata Marin Cilic, terceiro, eliminou o japonês Yoshihito Nishioka (6-1, 6-4, 6-4).

A provar que o seu 'ranking' atual 'não é verdadeiro', Wawrinka ultrapassou uma derrota inicial 'de pesadelo', 1-6, para depois encarreirar com 7-6 (7/3), 7-6 (7/5) e 6-4 sobre Dimitrov. Uma vitória épica para o já campeão em Roland Garros, US Open e Open da Austrália.

Para João Sousa, a campanha de 2016 (terceira ronda) não se repete e o 45.º ATP cai ante o 109.º, o ucraniano Sergey Stakhovsky, que vinha das qualificações. Os parciais foram 6-3, 6-3, 5-7, 1-6 e 6-4.

O mesmo destino teve Elias, 118.º, mas ante um adversário mais forte que ele, teoricamente - o espanhol Guillermo Garcia López é o 65.º e venceu por 6-2, 6-4 e 6-2.

No setor feminino, a melhor na relva de Wimbledon tende a ser Serena, mas o seu regresso após maternidade ainda se faz com algumas 'paragens', como se viu em Roland Garros. Hoje, a 185.ª do 'ranking' esteve bem e ultrapassou a holandesa Arantxa Rus (105.ª) por 7-5 e 6-3.

Ao contrário do que aconteceu em França, Wimbledon deu-lhe entrada direta no quadro, como 25.ª, o que lhe 'poupou' a passagem pelos 'qualifying'.

Ponto final, desde já, para outra norte-americana de top, Sloane Stephens, travada concludentemente pela croata Donna Vekic (55.ª), por 6-1 e 6-3.

Quanto às mais fortes, há a registar o triunfo da dinamarquesa Caroline Wozniacki (2.ª) sobre a norte-americanma Varvara Lepchenko (97.ª), com 6-0 e 6-3.

A romena Simona Halep, líder do 'ranking', só começa o torneio na terça-feira.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.